23 janeiro 2007

Carta Vieja Clásico Merlot 2003


Comprei este merlot em Joinville-SC em outubro do ano passado. Paguei meros R$ 15,80 - preço facilitado por comprar no supermercado pertencente ao mesmo grupo do importador. É um vinho é da linha básica da Vinícola Carta Vieja, tradicional casa chilena, fundada em 1825 quando Carlos Adolfo del Pedregal Neuman, proveniente das Astúrias (Espanha), chegou ao coração do Valle de Loncomilla. Atualmente, a vinícola exporta 95% de sua produção, para mais de 60 países.
No copo, cor púrpura denotando jovialidade. Lágrimas grossas e lentas. Cristalino e límpido.
No nariz, frutas vermelhas maduras, talvez amoras. Não demonstrou aromas herbáceos, comuns nos vinhos merlot.
Na boca, um vinho redondo, agradável, taninos macios, acidez sob controle e notas adocicadas. Infelizmente, o álcool ofendeu um pouco, prejudicando seu final, de média persistência, frutado, mas um tanto alcoólico. Corpo médio.
Um vinho que não fará feio, especialmente se for comprado a esse preço. Na hora de atribuir uma nota, fiquei na dúvida entre três ou quatro taças. O vinho é bom, mas é um tanto "padronizado". Um vinho atraente, mas me pareceu que iguais a este "eu já peguei mais de cem", como diz a música de Roberto & Erasmo.
Bebido em 23 de janeiro de 2007.

7 comentários:

Anônimo disse...

Tenho acompanhado os comentários do seu blog e com este vinho chegou a uma conclusão que eu cheguei a tempos - os vinhos estão muito parecidos. Parece que são uma tentativa de parkerizar tudo. Vinhos interessantes, com aromas diferenes, sensações novas, tudo isso tem sido difícil de conseguir com vinhos abaixo dos 30 reais. Gostei da lembrança do "iguais a você eu já peguei mais de cem". Foi engraçado, mas verdadeiro. Parabéns pelo blog.
Paula Regina Campos

Anônimo disse...

Li os comentários sobre este Carta Vieja e sobre o Terranova Muskadel. Você considerou os dois como BONS. Mas não são muito diferentes? Achei o Terranova muito pior do que o outro, mas você deu a mesma nota.
Parabéns pelo blog.
Ana Maria Cândido

Vinho para Todos disse...

Ana, obrigdo pela visita e comentário.
Realmente os vinhos são muito diferentes e receberam a mesma nota.
Isso acontece porque não tenho um sistema numérico de notas, como fazem alguns colegas que têm blog sobre vinhos. Eles têm escalas que podem variar de 0-20 ou 0-100.
Comparando com eles, meu critério pode cometer algumas "injustiças", porque cada taça equivaleria a 20% da nota. Assim, pode-se dizer que meu critério avalia os vinhos de 20 em 20 pontos.
Também acho que o Carta Vieja seja melhor do que o Terranova Muskadel, mas não mereceu 4 taças.
Obrigado mais uma vez.

Anônimo disse...

O Carta Vieja Cabernet Sauvignon é imbatível!

Guilherme disse...

Olá vinho para todos. Comprei o vinho Carta Magna feita pela Carta Vieja também, o corte é de Cabernet e Merlot, que foi a indicação do dono de uma casa de vinhos importados, pela faixa de preço que indiquei, R$ 20,00. Ainda não o degustei, você conhece algo deste vinho ?
Abraços.

rosa maria martins moraes disse...

Ola,tenho sempre visitado seu blog, gosto de suas dicas, tenho um blog tbem
http://www.sabordaservas.blogspot.com/ que gostaria que visitasse e se gostar pode colocar na sua indicação de blog. Obrigada. Rosa Maria.

Adriano disse...

Eu comprei dois Carta Vieja esse fim de semana, Cabernet sauvignon e embora tenha tido uma boa impressão dele na primeira vez que o tomei há alguns meses atrás, desta vez não agradou, safra de 2006, estava muito amadeirado e um tanto quanto ácido, não sei se o Baron d' Arignac que tomei antes dele influenciou na opinião, pois são bastante diferentes, o Baron é sutil e ao mesmo tempo saboroso.