20 fevereiro 2007

Rio Sol Espumante Rosé 2006

Este espumante da ViniBrasil é elaborado pelo método Charmat, mais econômico do que o tradicional Champenoise. Consiste em submeter o vinho à segunda fermentação em tanques de aço inoxidável (e não na garrafa, como no tradicional), sendo em seguida engarrafado sob pressão. É um processo similar ao utilizado nos refrigerantes. Foi inventado em 1895 pelo enólogo italiano Federico Martinotti e patenteado em 1907 pelo francês Eugène Charmat.
Paguei R$ 24,50 na garrafa e só leva duas taças na "nota": não me arrependi, mas não compraria de novo.
Espumante tem que ter espumas: fartas, belas e insinuantes. Parece óbvio, mas neste a espuma é muito tímida, como uma adolescente que se tranca no quarto, envergonhada pelo rosto repleto de espinhas!
De coloração rosa claro, apresentou perlage com bolhas pequenas e um tanto raras, contrariando o padrão ideal de um grande espumante.
Aromas de pouca intensidade, lembrando frutos vermelhos, como morango (simples demais). Algo mineral também. Boa acidez e refrescância. Final amargo, persistente e incômodo.
Embora produzido com 100% de uvas syrah, do Vale do São Francisco, faltou a exuberância da uva e a contagiante qualidade de um espumante nacional. Vinho razoável.






9 comentários:

Anônimo disse...

Interessante esse vinho não ser tão bom já que os espumantes brasileiros têm feito tanto sucesso. Já passei por este Rio Sol várias vezes na prateleira de uma loja aqui em Campinas. Não vou comprá-lo então (rs).

Beatriz Almeida

Paula disse...

Bem, comprei o Rio Sol Brut e achei bem gostoso.
Vc já provou?

arianne disse...

Discordo totalmente.

a amargo do final o torna menos enjoativo, seu aroma traz não só morango, como um floral delicioso apenas ao abrir a garrafa.

simples, refrescante e fácil.

Fabiana disse...

Para mim, parecia que só tinha gosto de álcool. Recomendo passar longe :)

Grande abraço,

Fabiana Andrade
http://vimvinhovenci.blogspot.com

Thales disse...

Não sei se vcs estão tomando o mesmo que eu, mas tanto o rose quanto o brut são ótimos! Recomendo comprá-lo e não acho que deva "passar longe" apenas por um comentário. Prove e tenha sua opnião!

Anônimo disse...

Eu concordo com o Thales é um espumante mais encorpado, entrega a exuberancia aromática da shirraz remetendo a frutos do bosque vermelhos e o famoso toque de especiarias, já tomei quase todos os espunantes nacionais e este tem um quê de diferente entre os outros feitos exclusivamente de chardonnay riesling itálico e pinot noir.
Tomei com uma pizza de zucchini e ficou ótimo
Boa compra

Lie Carvalho disse...

Oi novamente, estou lendo todas as postagens relacionadas a ViniBrasil, e tenho que concordar com todos os comentários, pois certa vez tomei um espumante Rio Sol e ele estava perfeito, 02 meses depois ganhei uma garrafa do mesmo vinho para dar o meu parecer, fiquei muito constrangida, pois o vinho era totalmente o oposto daquele que havia degustado, e com um sorriso meio sem graça disse: olha só vou falar bem deste vinho, porque já desgustei anteriormente e sei que ele não é assim.
Não sei o que ocorre, mas é estranho.
Os vinhos da linha Adega do Vale, são vinhos que atendem a uma classe mais popular, a linha rendeiras faz parte de um projeto para as mulheires rendeiras do Vale, para mim e outros colegas são vinhos de qualidade vamos dizer que "inferior".
A ViniBrasil produz bons vinho, que já ganharam muitos premios é sempre bom dar créditos a ela.

Lie Carvalho

Anônimo disse...

Francamente... os posts contra devem partir de pessoas preconceituosas pois os vinhos são excelentes... Acredito que há despeito pelos vinhos da Rio Sol estarem ganhado destaque e não os do Sul do Brasil... Lamentável...

Anônimo disse...

Bebi o espumante Rio Sol Brut Rosé pelo menos 12 vezes. O brut, umas 04 vezes, e recomendo, principalmente o Rosé. Diferenciado, sem amargor e muito saboroso.