11 maio 2007

Porta da Ravessa Tinto 2005

A cada dia me convenço que os vinhos portugueses são mesmo singulares. Degustá-los é estar preparado para sensações que não se encontram em vinhos de castas francesas. Por isso mesmo, para nós da América do Sul, comentá-los é pisar em terreno pantanoso. Sempre que o faço, rezo para não cometer sacrilégios.
Este vinho é um DOC Alentejano, produzido pela Adega Cooperativa de Redondo, que liderou o mercado de vendas em Portugal em 2005, alcançando 12,1% do mercado nacional, contra 11,9% registrados em 2004. Traduzindo em garrafas, produziu 15 milhões em 2005. A vinícola possui o selo VQPRD - Vinhos de Qualidade Produzidos em Região Determinadas. O Porta da Ravessa, agora comentado, ocupou 5,15% do mercado nacional, enquanto o Real Lavrador (do qual tenho uma garrafa para abrir em breve), ocupou 3,18%.
Pelo que se percebe, apesar de DOC, é vinho de uma linha popular, pelo qual paguei R$ 17. É um corte de trincadeira, aragonez, alicante bouschet e castelão, já que os vinhos DOC não podem utilizar uvas estrangeiras. Vamos ao líquido:
Vinho jovem, cor púrpura, boa formação de lágrimas. Indicação de pouco corpo já no exame visual. Aromas de boa intensidade, frutos vermelhos delicados, aromas característicos de castas portuguesas, algo lembrando amora (?).

Leve, muito agradável, pouco corpo. Boa acidez, certa adstringência, característica que tornou o vinho bem interessante. Taninos marcantes, mas sem ofensa. Final agradável e de média persistência.
Um vinho correto, bom exemplar de vinho português acessível. Compraria novamente. Em comparação a outros já comentados aqui, aproximou-se mais do Alandra (também alentejano) do que do Porca de Murça, por exemplo, que é do Douro.

7 comentários:

João Barbosa disse...

Acho que vou abrir um negócio de vinhos no Brasil, pois o mercado está precisado... as coisas que chegam aí!... O Porta da Ravessa está muitos furos abaixo da média. A minha opinião é claramente diferente da sua, acho este vinho absolutamente banal e desinteressante.
Um abraço

Le vin au Blog disse...

Olá! Vamos fazer a edição deste mês da nossa Confraria? Aguardamos o seu contato.

Abs.,

le vin au blog disse...

É uma boa pedida. Achei por aqui a safra 2001 também.

Uma outra sugestão para próximos vinhos da Confraria seria seguir a lista de vinhos brasileiros que o cineasta Jonatham Nossiter (Mondovino) fez. Leia no http://portalexame.abril.com.br/blogs/cartadevinhos/listar.shtml. no post "Os preferidos de Nossiter"
Copio abaixo a lista (já vi por aqui os números 2,3 e 4):

1.) Cave Ouvidor Peverella 05

2.) Vallontano Merlot 04

3.) Angheben Barbera 04

4.) Dal Pizzol Ancellota 04

5.) Vallontano Moscatel Espumante

6.) Quinta Ribeira do Mattos Cabernet Sauvignon 05

Abs.,

Vinho para Todos disse...

Ficamos fechados no Duetto então.
A lista é de vinhos um tanto "obscuros" aqui para o mercado mineiro. Aliás, acho que essa foi a intenção do cineasta. Vamos conversar melhor a respeito. Acho a sujestão excelente.
Abraço.

Anônimo disse...

O Porta da Ravessa é um excelente vinho principalmente agora que estou me interessando mais pelos tintos... Um aroma excelente...boa acidez e um final agrdável...interessante também é o preço dele aqui no Brasil.. Parabéns pelo comentário. Forte abraço. Guinho

Anônimo disse...

Este é o berdadeiro binho de luxo! Ass: Binho!

Anônimo disse...

joão barbosa, assino embaixo. este é de amargar!