28 fevereiro 2008

Rio Sol Reserva Syrah 2005

Tenho tido restrições em relação aos vinhos do Vale do São Francisco. Mas isso não significa que desisti de encontrar coisa boa por lá, afinal o empreendimento ViniBrasil não é coisa pequena e tem gente boa comandando: Dão Sul e Expand.
Os especialistas têm dito que a syrah é a variedade tinta melhor adaptada ao sertão, assim como a moscatel dentre as brancas. Pode ser uma jogada de marketing, mas pode ser verdade. Então, comprei este vinho por R$19,80, no Carrefour. Não deu pra resistir, porque na Expand está por R$29. Passa seis meses em barricas novas de carvalho francês (85%) e americano (15%). É o melhor vinho que provei daquela região, ao lado do Terranova Reserve já comentado aqui (
relembre), que também leva shiraz, num corte com cabernet sauvignon.
No copo, coloração púrpura, com bordas tendendo ao rubi, com pouca transparência e boa formação de lágrimas. Ótimos aromas de frutos vermelhos e madeira bem discreta, dando elegância ao vinho, sem os exageros "abaunilhados".
Corpo mediano, redondo, taninos macios e acidez marcante, com álcool equilibrado. Final muito agradável, longo, marcado por notas de frutos escuros e um leve amargor, que não atrapalha em nada. Madeira bem integrada marcando o final e o fundo do copo, repetindo a alegância inicial.
Evoluiu no copo, indicando que poderia ter sido decantado por um tempo. Surpreendeu. Mas vá devagar, os 12,5% de álcool enganam os menos avisados.

2 comentários:

Luis Henrique Nogueira disse...

Mineiro, tenho diminuído meu preconceito em relação aos vinhos brasileiros. Muito disso devo ao seu blog, onde descobri muita coisa boa. Ainda há muito produto ruim, mas a qualidade tem aumentado bastante. Na enquete que colocou no ar eu votei no espumante brasileiro, mas poderia muito bem votar no merlot.
Abraços.

Vinho para Todos disse...

Hoje é dia 21 de junho de 2008. Acabo de beber outra garrafa deste vinho. Reafirmo o que havia escrito na postagem. Na faixa de preços do blog (até $40), ainda é o melhor vinho do Vale do São Francisco, desta vez comprado a R$ 22, no Carrefour.