01 março 2008

Alamos Pinot Noir 2007

Este é o 13º vinho comentado para a Confraria Brasileira de Enoblogs, escolha do Gabriel Aleixo, do blog Le Vin Quotidien, com a participação dos demais convidados (veja menu à direita). A sugestão inicial foi para a safra 2006, mas somente encontrei o 2007, pelo qual paguei R$26,70 na Mistral.
É um vinho produzido pela bodega Catena Zapata, comandada pelo premiadíssimo Nicolas Zapata, cuja menção é suficiente, dispensando maiores comentários. Vale uma visita ao site da vinícola (clique aqui).
Antes do comentário, preciso deixar claro duas coisas: primeiro, sou um fã declarado dos pinot noir, talvez as compras mais arriscadas que faço. Mas sempre tento encontrar algo interessante. Segundo, para degustar um vinho desses, é preciso lembrar que as características da uva aproximam seus vinhos da delicadeza, da sutileza. Não o compare a um malbec argentino. OK?
No copo, coloração rubi, típica dos pinot noir, denotando pouco corpo, com muita transparência. Formaram-se lágrimas longas e abundantes. No nariz, um vinho perfumado, com aromas de boa intensidade, lembrando frutos vermelhos delicados, com madeira bem discreta, fruto dos nove meses em barricas de carvalho francês.
Vinho de pouco corpo, leve, com boa acidez e taninos finos. Alguma adstringência (que dá refrescância ao vinho) e álcool equilibrado. Final longo e marcante, com frutado muito gostoso. "Amarrou" um pouco, mas somente no final. Vinho delicado e redondo.
Uma ótima opção de pinot noir. Embora não tenha grande complexidade aromática, é um vinho correto e atraente, que não parece ter os 14% de álcool declarados no rótulo. Valeu muito a experiência.

7 comentários:

Gabriel Aleixo disse...

Olá! Puxa, fico contente que você também tenha gostado do vinho. Como você pôde ler, eu adorei. Acho que vou comprar mais uma ou duas para deixar guardadas e ver no que dá.
A propósito do seu comentário, achei uma ótima idéia! Eu não estava pensando em postar uma foto específicamente para mostar o corpo do vinho, mas pode ser uma boa daqui pra frente. Acho que pode enriquecer o comentário.
Abraço!
(ps: e o próximo, quem escolhe?)

Rosana Rangel disse...

Oi, conheço este vinho das safras 2006 e 2007. Você não exagerou em nada. É um vinho ótimo e sempre que posso compro na Mistral. É pena que não seja encontrado em muitos lugares, mas é um Pinot Noir muito atraente.
Parabéns pelo blog. Está nos meus favoritos há muito tempo...

Le vin au Blog disse...

Olá Vinho para todos, tudo bem?

Infelizmente a nossa garrafa, para nossa surpresa, do Alamos estava ruim. Ficamos com água na boca ao ler os comentários de vocês...mas são coisas que acontecem.

Vi no blog do Gabriel um comentário qu vc deixou por lá sugerindo que´o Le Vin au Blog indicaria o vinho do mês. Acho que o comentário que vc deixou lá no blog não apareceu.

Aguardo sua confirmação.

Abs.,

Claudio e Rafaela.

Jandy Anacleto disse...

Olá,
Adorei o seu blog e desde que o descibri tenho lido com frequência. Eu tbm adoro Pinot noir e fiquei curiosa para conhecer esse vinho. Não sei se conhece o Pinot Noir da vinícola Aurora. É nacional, barato, mas delicioso.

Abraço

Alexandre disse...

Olá, descobri seu blog recentemente. Gostei! Sobre o Alamos Pinot 2007 eu tomei a primeira vez em dezembro do ano passado e me encantei. Comprei uma caixa e venho tomando regularmente desde então, geralmente acompanhando um salmãozinho assado. Infelizmente tenho constatado uma queda no vinho nas ultimas 2 garrafas tomadas. Talvez a proposta seja para um consumo mais imediato. Ainda tenho uma garrafa. Mas o da safra 2008 deve chegar no fim do ano, tomara que esteja tão bom quanto este. Abraços.

Marcos Silva disse...

Experimentei pela segunda vez um pinot noir, o primeiro da Morandé, eu não gostei, mas esse estava maravilhoso, o alcool de 14º não apareceu, vinho equilibrado surpreendente, muito bom, tomei com um amigo acompanhando uma deliciosa pizza de calabresa e mussarela e muito azeite extra virgem português.
Abs

Ricardo disse...

Olá!!!
Experimentei pela primeira vez o Alamos Pinot Noir 2008, não tive oportunidade de provar as outras safras. Mas só tenho coisas boas para falar desse vinho, especialmente quando apreciado com um bom carret, realmente fantástico. Abraços.