06 março 2008

Flor de Crasto Tinto Douro DOC 2004

A Quinta do Crasto é uma vinícola secular do Douro, cujos vinhos, de mesmo nome, são um sucesso no mercado brasileiro. Mas estão num patamar de preço além do que este blog se propôs a comentar. Um Quinta do Crasto Reserva Tinto 2005, por exemplo, custa em torno dos R$ 150 (aproximadamente 59 Euros). Faço a conversão para que os amigos de Portugal percebam como nos chegam caros os vinhos de lá.
Este é o vinho básico da casa, que me custou R$ 28, no Angeloni de Joinville (algo como 11 Euros) . É um corte de tinta roriz, touriga franca e touriga nacional, uvas portuguesas cada vez mais apreciadas pelos brasileiros. Segundo a vinícola, estagia parcialmente em cascos de carvalho francês. Apesar de ser da safra 2004, foi engarrafado em março de 2006.
No copo, coloração púrpura intenso, com bordas violáceas. Formaram-se grossas e longas pernas. Bons aromas a frutos maduros, algo de ameixa preta, alguma especiaria e madeira discreta. Aroma "adocicado", com álcool (13,5%) aparecendo um pouco, mas sem desequilibrar o conjunto.
Corpo mediano, com taninos redondos, acidez e álcool em equilíbrio. Agradou no primeiro gole. Vinho fácil de beber, com notas adocicadas que o tornam um tanto diferente dos vinhos portugueses vendidos no Brasil nessa faixa de preço. Final de médio a longo, com retrogosto frutado e elegante. Na boca, a lembrança da fruta. No fundo do copo, aromas da madeira, mas sem exageros. Acompanhado por queijos, não se intimidou e melhorou o ataque. Vinho que agradará mesmo àqueles que "preferem vinhos do Novo Mundo".

9 comentários:

João Barbosa disse...

Ora aqui está um vinho que não provei nem conhecia. Hei-de experimentar.

Um abraço daqui de Lisboa

Le Vin au Blog disse...

Vinho para Todos,

pensamos em escolher o uruguaio Cisplatino Tannat/Merlot 2005 - Pisano, importado pela Mistral. Não sabemos se é fácil de ser encontrado. Se vc tiver dificuldades em encontrá-lo, podemos indicar outro.

Abraços.
Le Vin au Blog

Gerson disse...

Olá, tudo bem? O hd do notebook pivou e tive dificuldades para conseguir outro, mas estou de volta...abraços

Pingus Vinicus disse...

Também fiquei curioso com o nome, mas não será o normal Quinta do Castro que existe em Portugal e que simplesmente mudou de nome no Brasil?

Um abração

Anônimo disse...

Comprei este vinho no Angeloni em Florianópolis. Realmente foi um achado.
Valeu a diac.
Fábio Sá - FLPS

Vinho para Todos disse...

Ontem (07/11/08) provei o mesmo vinho, da safra 2006. Estava um pouco gripado e não quis correr o risco de fazer avaliações equivocadas. Garganta fechada, tosse e nariz congestionado não combinam com vinho. Mas dá pra arriscar um palpite: o vinho continua com boa relação qualidade x preço, mas o 2006 não me impressionou tanto quanto este 2004.

Saúde!

Carlos Miguel disse...

Vinho de excelência, muito bom, tivemos a oportunidade de conhecê-lo aqui em Manaus, e o melhor:Preço excelente!!!

Anônimo disse...

o comentarista de Lisboa não podia mesmo conhecer o Flor de Castro! Não é vendido em Portugal. É uma produção só para o Brasil Muito inferior ao Quinta de Castro simples. Vinho sem maiores pretensões, o que não inibe de ser agradável. Pouca força, retro-gosto perto de zero. Não vi as qualidades descritas pelo respeitado blogueiro. Tomei um esta semana (julho de 2011). Preço acessível - 39 \reais- o que, reconheço, o diferencia, para melhor, da mediocridade dos seus congêneres. Mas, merecer 4.5!

Anônimo disse...

No México também podemos experimentar os bons vinhos portugueses como este. É excelente!