22 abril 2008

Canciller Malbec 2005

A Fecovita (Federação das Cooperativas Vitivinícolas da Argentina) é uma gigante na produção de vinhos. Seus tanques de cimento têm capacidade para armazenamento de 54 milhões de litros da bebida, mais 18 milhões podem ser guardados nos tanques de aço inoxidável. A Federação é formada por 32 cooperativas que têm 5000 pequenos produtores de uvas, mas sem estrutura para vinificar sua produção. Como a maioria das grandes cooperativas, produz vinhos simples. Dentre suas marcas estão o Marcus James, o Toro e o Canciller.
Pela garrafa deste malbec, paguei R$ 18, no Azeitona Verde. Não esperava muito do vinho e a suspeita se confirmou. Há malbec muito melhores que este na faixa de preços.
Vinho de coloração púrpura, com bordas tendendo ao alaranjado. Muitas lágrimas, grossas e rápidas. Muito transparente, denotando pouco corpo desde logo.
Bons aromas a frutos vermelhos maduros. Vinho leve, macio, com taninos doces, boa acidez e álcool levemente aparente (13%), sem prejuízo. Retro-olfato frutado. Final rápido, com pouca fruta e alcoólico. Madeira aparecendo com discrição.
Vinho muito simples, sem atrativos que justifiquem outra compra!



Um comentário:

Jean Bagliano disse...

Não gasto meu precioso dinheirinho em vinhos de cooperativas. Isso vale para as brasileiras, portuguesas, argentinas, chilenas, etc. A procedência diversa das uvas normalmente compromete o resultado final.