30 junho 2008

Duetto Pinot Noir & Shiraz 2006

A Casa Valduga já produziu um varietal pinot noir, acredito que até o início dos anos 2000. Mas não o produz mais, provavelmente pela dificuldade em "domar" esta uva no Vale dos Vinhedos. Com a linha Duetto, voltou a utilizar a casta juntamente com a shiraz, numa combinação que não vi em outra vinícola, nacional ou estrangeira.
É um corte que une a delicadeza da pinot noir, que na região acaba sendo colhida com alto grau de acidez, com os aromas da shiraz. Por isso mesmo, a tendência é um vinho tinto mais leve, que possa ser servido em dias mais quentes em razão de sua refrescância. A própria vinícola sugere temperatura de serviço entre 12-14ºC e que deve ser respeitada para tirar o melhor do vinho.
No copo, um púrpura intenso, com notas violáceas. Aromas de boa intensidade, frutos vermelhos (amoras principalmente) e lembrança vegetal, presença marcante dos aromas. Com o passar do tempo, apareceu um floral discreto, provavelmente uma característica da syrah.
Na boca, um vinho leve, com adstringência mais alta do que se poderia esperar, com taninos vivos e álcool que não incomodou. Esta característica ácida o transforma num tinto bastante refrescante. Retro-olfato intensamente frutado e muito gostoso. Apareceu uma inusitada lembrança de "bala de café". Final longo e frutado, dando vontade de mais goles.
Final da história: um tinto brasileiro que vale a pena conhecer. Pronto pra beber, com boa relação qualidade x preço (na faixa dos R$20-23) e uma proposta diferente. Cairá bem com queijos leves. Se tiver tempo, dê a ele umas duas horas no decanter e sirva na temperatura recomendada. É o vinho que mais bebemos aqui em casa nos últimos tempos. Um campeão de vendas no Valentina Bistrô, um ótimo lugar pra quem gosta de vinhos em Uberlândia.

5 comentários:

Colheita de Vinhos disse...

Olá vinho para todos!

Estou intrigado, pois minha experiêcia com este vinho não me agradou, vou procurá-lo novamente e tirar uma segunda prova, para que talvez não seja injusto com ele.

Abraços,

Guilherme.

Imfernandes disse...

Sempre quis provar esse vinho. Já tenho um incentivo.

Abraço.

Vinho para Todos disse...

Caros confrades,

me parece que esse vinho tem proposta diferente. Pretende ser mais refrescante que os tintos "normais", aproximando-se um pouco de um pinot noir, mas com características um pouco diferentes no tocante aos aromas e final de boca.

Sem forem experimentá-lo, livrem-se de pré-concepções e não o comparem com outro, até porque esse corte é inédito (pelo menos pra mim).

Saúde!!

Gerson disse...

Me pareceu muito interessante, tentarei acha-lo. Ontem bebi um Gato Negro CS 2006 que comprei por R$14,85, achei muito barato e fiquei desconfiado, mas estava muito bom, e aí,comprei outra garrafa, abçs

camila.haase disse...

Definitivamente, maravilhoso. Agrada diversos paladares...