08 julho 2008

Almadén Reserva Especial Tannat 2005

Vejam só como a força de uma marca pode induzir o consumidor a uma escolha menos feliz. O Carrefour anunciou a promoção de alguns vinhos. Na prateleira com vinhos brasileiros, estavam lado a lado dois tannat. Um Fortaleza do Seival e um Almadén Reserva Especial. O primeiro a $18 e o segundo a R$22. Qual estoque desapareceu? O do Almadén, marca conhecida que recebe a atenção do consumidor menos acostumado ao mundo do vinho. Muitos não sabem sequer que o Fortaleza é produzido pela Miolo. Este último eu já experimentei e duvidada que o Almadén pudesse ser melhor. Comprei e estava certo.
No copo, um púrpura tendendo ao violeta. Lágrimas abundantes, grossas e rápidas. Aroma frutado bem discreto, com lembrança vegetal e notas lácteas muito evidentes. Pouco corpo, com taninos ásperos e acidez marcante. Álcool sem aparecer (12%). Vinho rústico, deixando a sensação de boca enrugada.
Final curto, marcado por discreto frutado e boca seca. Sem madeira aparente. Um pouco melhor na boca que nos aromas. Vinho sem atrativos.
Relação custo x benefício ruim, porque pelo preço pago (R$22) há vinhos melhores com a mesma uva.

7 comentários:

Imfernandes disse...

Rapaz, o Almadén tem o melhor mkt de vinhos desse país. Em qualquer birosca se acha. O vinho é ruim, mas o depto de mkt é excelente e outras vinícolas poderiam aprender com eles.

Outro dia eu estava no mercado e me deparei com garrafas Marcus James reserva especial Tannat. Não comprei pq achei que se tratava dessa mesma coisa. Se bem que os tannats da linha Marcus James são produzidos no Uruguai. hummm... será?

Rubiana Junqueira - Franca(SP) disse...

nossa, mas que maldoso. Eu até gostei desse vinho, como de outros Almadén. São vinhos baratos e que agradam meu paladar. Gosto muito do San Germant da Aurora, vinhos fáceis, leves e levemente adocicados. Mas parabéns pelo blog. Eu leio sempre.

Colheita de Vinhos disse...

Olá Vinho para todos.

Outro dia tomei um Salton Classic Tannat 2007, paguei meros R$ 10,00, um vinho simples, mas agradável, e ainda mais pelo valor pago ... Bem ... acho que estava melhor que este Almadem ...

Grande abraço,

Guilherme

Fabiana Gonçalves disse...

E ainda cobram esse preço!

Emilio disse...

Bom dia. Olaha eu aqui de novo. Estou com um dúvida cruel. Onde encontro um manual de utilização dos acessórios para vinho? Não conseguí achar em lugar algum.

Ah sim, outra coisa, para um iniciante na arte de degustação como eu, que livro você me recomendaria?

Vinho para Todos disse...

Caro Emilio, não conheço um livro que fale especificamente sobre a "utilização dos acessórios para vinho".

Quanto às indicações para iniciantes, acredito que dois livros pode servir a esse propósito:

1. Introdução ao mundo do vinho, de Ciro Lilla. O dono da Mistral escreveu uma introdução bastante didática. Custa em torno dos $35.

2. Vinho sem segredos, de Patrício Tapia. O autor é chileno e escreve de forma simples, com importantes dicas. Preço: $32.

Espero que goste das dicas.

Saúde!

VPT

Alberto GG disse...

Olá. Não sou um especialista, mas sei identificar um bom vinho, no mínimo honesto, na faixa de 10 a 50 reais, uma faixa em que boa parte dos brasileiros (inclusive eu) que gostam de um vinho minimamente decente podem comprar, fugindo daqueles chamados "de mesa", que são horríveis e deveriam ser suco de uva, vinagre ou lixo.
Para meus amigos não iniciados, sempre recomendei a compra do Almadén, independente do tipo, considerando que a chance de erro é mínina. Pelo menos teriam um vinho honesto de qualidade a um preço acessível.
Mas seu comentário sobre o Almadén Reserva Especial Tannat 2005 me deixou bastante preocupado. Tenho uma garrafa deste Almadén e outras 3 Tannat urugaios (Juan Carrau 2008)em minha adega. Não provei nenhum deles ainda, portanto ainda não tenho opinão formada.
O Almadén hoje é produzido pela Miolo, mas minha pergunta é a seguinte:
O Almadén que há alguns anos era a linha de frente na produção nacional se tornou hoje um vinho de segunda linha ? Se assim é, qual rótulo está na frente hoje no Brasil ?
Qual a estratégia da Miolo em termos de posicionamento das várias marcas que comercializa ?
Hoje ostenta as marcas Miolo, Fortaleza do Seival, RAR, Lovara, Ouro Verde, Costa Pacífico, Osbornne, Los Nevados e Almadén.

Desculpe a complexidade das questões, mas sou apaixonado pelo assunto e como aprendiz, tenho muitas dúvidas.

Um abraço e obrigado.

Alberto Guimarães
alberto.gg@ig.com.br