21 setembro 2008

Casa Antiga Tinto Dão DOC 2005

Este vinho é produzido pela gigante Dão Sul. Um vinho básico certamente, tanto que não consegui encontrá-lo no site da empresa, para saber a proporção de cada uva no corte, que leva um tanto de Touriga Nacional, um pouco de Tinta Roriz e uma porção de Jaen. A primeira casta é a variedade tinta de maior sucesso, até mesmo no Brasil, onde é aposta de várias vinícolas. A segunda é a mesma Aragonês do Alentejo e Tempranillo da Espanha. A última é uma coadjuvante, conhecida como Tinta Mencia no noroeste da Espanha e muito presente nos cortes do Dão.
Trata-se de um vinho simples, mas agradável, que seria melhor se custasse menos que os R$25 pagos.
Na taça, um púrpura límpido, com bordas tendendo ao granada. Aromas medianos, frutos vermelhos em evidência e toques minerais. Pouco corpo, com taninos macios e acidez mediana. Retro-olfato frutado, com lembrança levemente vegetal. Final de boa persistência, com destaque para um frutado delicado, com leve presença tânica. Álcool sem incomodar (12% de teor).
Vinho melhor na boca que no nariz, melhorando um pouco com comida.

3 comentários:

Imfernandes disse...

Fica aí mais essa dica. Os vinhos do Dão de baixo custo não costumam decepcionar.

Ando preferindo-os do que os do Alentejo.

abraço

Vinho para Todos disse...

Concordo com você. Dão e Douro estão à frente do Alentejo em se tratando de vinhos baratos (até $30).

Obrigado pelo comentário.

Anônimo disse...

a conclusão é precipitada, a meu juízo. o que acontece é que os vinhos do dão e do douro são mais fáceis de tomar. o alentejo foi resposável pela viragem da enofilia em Portugal. O Douro vivia acomodado e o Dão não passava de Grão Vasco e etc.