15 dezembro 2008

Arte Espumante Brut 2007

Para este mês de dezembro, os blogs participantes da Confraria Brasileira de Enoblogs decidiram fazer uma indicação aos seus leitores: um espumante de boa qualidade e acessível para as festas de fim de ano. Depois de experimentar alguns (e postar comentários, inclusive), escolhi um produto da Casa Valduga, cujos espumantes são produzidos pelo método tradicional (champenoise), em que a segunda fermentação ocorre na própria garrafa.
Estive na vinícola em outubro e visitei a maior cave de espumantes da América Latina. Ela tem capacidade para armazenar 6 milhões de garrafas nos "cavaletes" de fermentação (pupitres), mas atualmente ocupa espaço com apenas 800 mil garrafas. É uma bela estrutura de 250 metros de comprimento (visite o site da vinícola e observe o prédio amarelo na foto da introdução).
Encontrei o espumante em preços que variam de R$22 a R$28. É elaborado com uvas da safra 2007 (70% de Chardonnay e 30% de Pinot Noir), com todo o processo de produção realizado em 12 meses.
Na taça coloração amarelo palha e reflexos levemente esverdeados. Perlage com bolhas finas e muito persistente, com boa formação de espuma. Aromas de boa intensidade, uma boa mescla entre a tipicidade da Chardonnay (frutos brancos) e o resultado da fermentação em garrafa (fermento e casca de pão).
Na boca é leve, mas amplo e estruturado. Bastante cremosidade. Retro-olfato lembrando frutas tropicais e nuances levemente adocicadas (teor de açúcar = 10,16 g/litro). Final mediano, deixando na boca uma gostosa sensação tostada, sem a presença do amargor que pode caracterizar alguns outros espumantes.
É um espumante com boa refrescância e certa estrutura, podendo acompanhar vários pratos nas festividades. Bom equilíbrio entre álcool e acidez e boa evolução aromática.

Este foi o 23º vinho que comentei para a Confraria. Boas festas!

4 comentários:

Iví K. Amárál disse...

Uma vez nós fizemos uma degustação de cortes bordaleses de diferentes países e um bordeaux legítimo. Muita gente achou que o Arte 2005 (cabernet sauvignon e mertot) era o Bordeaux, não conhecia esse vinho e deve ser muito bom, o 130 anos ganhou medalha de ouro na Hungria.

Bjos

Ivania
www.ivini.com.br

Vinho para Todos disse...

Ivania, realmente o Arte Tinto 2005 era especial, um vinho mais interessante do que se poderia esperar, porque é o produto mais básico da Casa Valduga. Talvez o melhor corte bordalês que experimentei na faixa até $30. Melhor que muitos franceses desse preço.
O Arte Tinto 2006 está "meio degrau" abaixo em estrutura do que o 2005, provavelmente em virtude da safra, que não foi tão boa quanto a anterior.
Obrigado pela visita e pelo comentário.
Saúde!

Natália Fernandes disse...

A dica é legal. Obrigada.
Já comprei outro vinho que você comentou no blog, o Two Oceans Pinotage e gostei bastante, mesmo com a madeira um pouquinho chata, rsrsrs.

Anônimo disse...

Cariocas e turistas celebram chegada de 2009 com o Arte Brut

O Bar & Champanheria Copacabana, primeiro e único quiosque da orla mais famosa do mundo dedicado exclusivamente aos espumantes, escolheu as elegantes borbulhas Arte Brut da Casa Valduga para comemorar com grande estilo e sofisticação a virada do ano.
Os cariocas e turistas que passarem o Réveillon à beira mar poderão se deliciar com este espumante elaborado com 70% de Chardonnay e 30% de Pinot Noir através do método champenoise.
O Arte Brut proporciona um fino e persistente perlage e aroma de frutas tropicais e pão tostado, ideal para brindar a chegada de 2009. Preço sugerido espumante Arte Brut R$ 26,00.

Fonte: Site do Vinho Brasileiro