19 agosto 2009

Boscato Reserva Merlot 2005

No dia 28 de julho jantamos no Família Geremia, em Garibaldi. Quem conhece a região sabe que fica no Castelo Benvenuti, às margens da rodovia. Lugar agradável, com serviço muito bom, comandado pelo Paulo Geremia, empresário com restaurantes em várias cidades da região. Da carta de vinhos com centenas de opções, experimentamos espumantes da Cave Geisse e da Perini (briga desigual).
Dentre os tintos, ficamos curiosos com este merlot da Vinícola Boscato, localizada no município de Nova Pádua, no Vale do Rio das Antas, e fundada em 1983 pelos irmãos Clóvis e Valmor Boscato. Segundo o site da empresa, todos os Reserva passam por barrica de carvalho, mas não especifica o período. Pela garrafa pagamos R$35.
Na taça um vinho de coloração rubi, com reflexos violáceos, aparentando untuosidade. Aromas discretos, com lembranças de frutos vermelhos e especiarias. Na boca apresentou leveza, com taninos finos e baixa acidez. Presença discreta em boca, o que levou a todos na mesa a utilizar o adjetivo "vazio" para descrever a sensação. Retro-olfato com boa fruta.
Final mediano, notas de bala de café e um gostoso frutado. Vinho delicado e elegante, muito macio e sem nenhum amargor para incomodar. Equilibrado e diferente da maioria dos merlot brasileiros. Não é um vinho excepcional, mas vale a experiência. Pronto para beber. Álcool equilibrado (12,5% de teor) e madeira muito discreta, na medida que deve ser.




Este é o 300º vinho que comento no blog. Não foi escolhido por ser especial, apenas coincidiu com a marca. Obrigado aos leitores por me suportarem há tanto tempo!

7 comentários:

Daniel Perches disse...

Interessante ver esses comentários. Eu conheci a Boscato também quando fui ao Sul e gostei bastante.
Abraços

Daniel Perches

Anônimo disse...

Parabéns pela marca. É muito vinho... um dia chego lá.

Elton Martins/CE

Leandro Guimarães - Pelotas disse...

Gosto desse Boscato, pq ele está bem equilibrado e macio, ao contrário de muitos outros vinhos nacionais. Não tem madeira em excesso, o que tb não gosto, como na maioria dos vinhos sul americanos. Grande abraço...

Vinho para Todos disse...

Discordando deste blogueiro, os experientes degustadores da revista Prazeres da Mesa elegeram esse vinho como o "segundo melhor" Merlot brasileiro da safra 2005. O "Best Buy" entre todos os avaliados. Veja na edição de setembro.

Saúde!

Alexandre disse...

Legal, vocês o degustaram no dia do meu aniversário!

Comprei ele e estou tomando agora. Achei muito bom, se comparado com outros merlot da Serra Gaucha na mesma faixa de preço, como um Salton Volpi da vida.

Sim, a cor é profunda, violácea, fechada, dá expectativas de concentração que são frustradas na boca...mas acho que "vazio" é exagero. Ele é magrinho sim, mas ainda assim, é macio e equilibrado. Talvez eu não tivesse muita expectativa, mas não senti falta de nada nele.

Quanto à análise olfativa, bateu tudo com a nota que escrevi aqui.

Em tempo, me custou R$ 29, aqui em Salvador.

Um abraço.

Vinho para Todos disse...

Valeu Alexandre.

O "vazio" talvez não tenha sido tão justo, mas foi o adjetivo que veio à mente de quem estava degustando o vinho. Mas no geral, agradou bastantes.

Saúde!

Tiago Bulla disse...

Gil, quando estive em Bento a dois finais de semana atrás, fui conhecer o Di Paolo, e coincidentemente pedi este mesmo vinho, porém da Safra 2007 - estava com um preço muito bom, e eles tinham garrafa de 375ml (na ocasião, só eu iria beber)
Gostei muito do vinho, me surpreendeu. Muito honesto, bem feito e equilibrado. Vou postá-lo no blog em breve
Saúde!
Tiago Bulla
www.universodosvinhos.com