17 agosto 2010

Wrongo Dongo 2008

Comprei esse vinho movido por três curiosidades: 1) a região em que é produzido, até então inédita para mim, 2) a uva igualmente inédita e 3) o rótulo, de uma estranheza curiosamente bonita. É produzido pela Bodegas Juan Gil, fundada em 1916 e atualmente administrada pelos bisnetos de seu fundador, Juan Gil Giménez. Possui 120 hectares de terras a uma altitude média de 700 metros. Paguei R$ 48 pela garrafa e foi uma experiência muito interessante.
.
A região - o vinho é produzido na D.O. de Jumilla (veja mais), situada no sudeste espanhol e regulamentada em 1966. O nome da região vinícola decorre do município de mesmo nome, situado na província de Múrcia. A região conta atualmente com cerca de 30.000 hectares de vinhedos. As variedades autorizadas são:
- TINTAS:
Monastrell, Cencibel, Garnacha Tintorera, Garnacha, Cabernet Sauvignon, Merlot, Syrah y Petit Verdot.
- BRANCAS: Airen, Macabeo, Pedro Ximénez, Malvasía, Chardonnay, Sauvignon Blanc y Moscatel de grano menudo.

.
A uva - Monastrell, variedade autóctone do sudoeste espanhol, sendo Jumilla sua mais importante zona de produção, onde está ambientada há séculos, caracterizando-se pela resistência à seca. Resulta em vinhos estruturados e atualmente é a terceira variedade mais cultivada na Espanha.
.
O rótulo - continuo com a mesma curiosidade inicial, porque não faço a menor ideia do que signifique. Se alguém puder ajudar...
.
Na taça um límpido rubi. Bons aromas. De início um frutado maduro (ameixas) e álcool aparecendo de leve (15% de teor). Abriu-se para compota, geleia e traços de especiarias e algo terroso.
Corpo mediano. Vinho maduro, continuando a lembrança compotada, frutos negros, bom calor dado pelo álcool. Taninos finos e acidez refrescante. Final um tanto curto, dominando a fruta muito madura acompanhada de leve tostado.
Não me lembro de ter bebido um vinho com esse teor alcoólico, que nesse caso serviu para dar certa potência, mas não é desequilibrado. Um vinho que vale conhecer, sem dúvida, por um preço interessante (na casa dos R$45-50)
.

.

2 comentários:

Anônimo disse...

Se esse vinho for bom o quanto o rótulo é estranho, deve ser um achado, rsrsrs

Hyatt disse...

Olá. Tudo bem?

Sou Annia da Edelman, agência de comunicação digital do Grand Hyatt São Paulo.

Achei muito interessante este post sobre o vinho espanhol que despertou sua curiosidade. Por isso, gostaria de compartilhar a informação e também convidá-lo a participar do Hyatt Wine Club de agosto que tratá renomados rótulos de vinhos da Espanha.

O evento acontecerá nesta terça-feira (31/08), no Grand Hyatt São Paulo e contará com inúmeros rótulos de vinhos espanhóis que poderão ser degustados. Além disso, é possível conversar com especialistas no assunto e adquirir os vinhos da noite a preços especiais.

Caso tenha interesse em mais detalhes sobre o evento, segue link: http://www.pacoteshyatt.com.br/hwc_agosto/index.html

Abraços,
Annia Vuolo
(annia.vuolo@edelman.com)