06 maio 2011

Pietro Marini Cabernet Sauvignon Syrah 2007

Ganhei esse vinho de um amigo que é casado com uma argentina cuja família possui vinícolas por lá. Uma delas é a Bodega El Transito, moderna vinícola de boutique situada no Vale de Cafayate, em Salta. Fundada em 1942 pelos irmãos Benjamín Andrés e Pedro Moisés, está hoje sob administração de Andrés Benjamín Nanni, da quarta geração de viticultores da família. A bodega tem capacidade de produção de 350.000 litros de vinho, somada a capacidade de guarda e fermentação.

Esse vinho é um corte de Cabernet Sauvignon (70%) e Syrah (30%). Tem passagem de 6 meses por barricas. Na internet encontrei preços variando de R$ 39 a R$ 68. Em qualquer das faixas de preços é uma ótima compra.

Na taça apresentou coloração rubi, com discretos reflexos alaranjados. Lacrimoso.
Nos aromas é intenso, com álcool aparecendo e demonstrando desde já a potência do vinho (14,8%), mas sem incomodar. Fruta muito madura em abundância, aromas terciários, compota, tabaco, ferrugem e especiarias (principalmente pimenta).

Na boca demonstrou ser um vinho evoluído, maduro, com taninos finos e acidez em boa conta. Potente, mas não é "quente" se considerarmos o teor alcoólico. Final longo, com muita fruta e madeira bem integrada. Fundo de taça lembrando especiarias, chocolate e tabaco.
Sugiro aeração por 20-30 minutos. Pronto para beber. O único senão que vejo no vinho é que não irá melhorar com a guarda, mas isso não impede que seja bem avaliado aqui, tanto em qualidade quanto em relação custo x benerfício. Vinho "didático".





4 comentários:

Anônimo disse...

Acho que esse vinho era importado pela Wine Brands, que vai deixar de trazê-lo porque a Norton exigiu exclusividade dentre os vinhos argentinos.

Vinho para Todos disse...

Ouvi essa história mesmo. Estavam negociando com novo importador para o Brasil.

Rua Sem Dono disse...

Caro Vinho para todos!!!!

Eu que te acompanho e faz muito tempo, educadamente me permito a lhe fazer uma contribuição mesmo sendo um questionamento, eu primeiramente mudaria seu “slogan” para “Todos os vinhos”, pois acho que o mundo do vinho lhe empurrou para uma outra categoria, mas sua contribuição ainda é muito boa, mas já não consigo achar você, me desculpe, por favor, cem (100) % por cento isento e sem ser influenciado por “qualquer” motivo!

Vinho para Todos disse...

Meu caro,

como sempre seus comentários são intrigantes e agradeço por se manter um leitor do blog, apesar de discordar do viés adotado.

Isenção ou imparcialidade são conceitos distintos de independência. Um dia (talvez) eu escreva sobre isso aqui.

Saúde sempre.

VPT