08 junho 2011

Conhecendo Vilmar Bettú, o último romântico



Na noite do último dia 3 fomos informados pelo Orestes, do Ibravin, que iríamos conhecer Vilmar Bettú. Detalhe: marcou o encontro para as 23:30 h, algo "quase secreto", como disse o Beto Duarte.

Tal como adolescentes que acabam de ganhar o mais moderno dos videogames, ficamos todos animados. Jantamos no restaurante Canta Maria, onde degustamos os vinhos da D.O. Vale dos Vinhedos e por volta da meia-noite chegamos à casa do Bettú.

Os detalhes são muitos, por isso deixo vocês com o vídeo abaixo, que reúne imagens muito interessantes sobre esse vinhateiro excêntrico, que tem formação em Engenharia Mecânica e vende os vinhos segundo as regras do mercado, vale dizer, do "seu mercado": quando o vinho está acabando, o preço sobe. Se ninguém comprar, ele bebe. Embora às vezes prefira jogar cartas do que atender esses malucos que chegam de madrugada.

Se você gosta de vinhos e de histórias que valem à pena serem conhecidas, assiste a todo o vídeo.

Produção do Vídeo: Beto Duarte, do Blog Papo de Vinho.

Blogueiros que também estavam presentes:

- Alexandre Frias (Diário de Baco)
- Cláudio Werneck (Le Vin au Blog)
- Daniel Perches (Vinhos de Corte)
- Deco Rossi (EnoDeco)
- Felipe Zboril (Adega do Zboril)





5 comentários:

Evelyn disse...

Incrível!!! Morro de vontade de conhecê-lo e provar seus vinhos!!!
Parabéns pela matéria!

Vinhos que Provo disse...

Infelizmente acho que não representa o que o Bettu faz pelos vinhos do Brasil. Esperava comentários sobre os vinhos, que são magníficos. Um bate papo com o vinhateiro não representa sua arte. Sua arte são seus vinhos. Muitos o atacam e o desprezam pela pequena quantidade que ele produz, mas como diz Robert Parker ( sempre ele!) o que importa é o que está na taça. O quê esteve na taça? O chateau? O Bettú? Não importa, o que importa é o vinho. Em se tratando de Vilmar Bettú, o que importa é o vinho, senão ficamos ouvindo que no terroir do Brasil os vinhos não envelhecem bem e etc... Muito incompleta essa visão, mas é uma crítica construtiva para que vcs possam novamente ir lá degustar seus melhores vinhos, sem se importar com preço, fama, etc. Apenas provem. Mas.... PrOvem os melhores, senão não vale. Não vale apenas dizer que há românticos no mundo, tem que ver se esse amor vale a pena. Valeu? Quero saber...

Vinhos que Provo disse...

De qualquer forma, parabéns pelo seu excelente blog. Saudações.

Anônimo disse...

Estivemos com o Sr Vilmar Bettú em abril de 2014, por ocasião da Páscoa. chegamos sem avisar. Não o conhecíamos nem tínhamos sequer ouvido falar. Entramos na rota do espumante, perguntamos onde haviam vinícolas e fomos descendo. De repente chegamos na casa do Sr Vilmar. Ele nos recebeu muito educadamente, um cavalheiro.Estava de saída, mas adiou e nos recebeu. Éramos turistas perdidos no vale e não sabíamos o que nos esperava. Foi a melhor degustação das nossas vidas. A noite escura se abriu e apareceram as estrelas.E era dia!!! Eu simplesmente adorei, minha esposa também, as primas delas idem. Obrigado Sr Bettú. Temos na memória para sempre o seu vinho e sua companhia, duas das melhores coisas do mundo. Se tudo der certo, esperamos voltar breve e ser recebidos pelo Sr, se puder. Pena só ter trazido só 4 garrafas para ir avivando a memória. José Antonio.

Wagner Costa disse...

Boa tarde a todos!
Estive no mes passado no Vale dos Vinhedos e conheci alguns vinhos maravilhosos, como o Pizzato, Almaúnica (fomos muito bem recebido pelo Marcio) e Angheben. Conheci também em Gramado, e para a minha surpresa, amei os vinhos da Ravanello, especialmente o Dionísio. Fomos muito bem recebidos pelo Alexandre Ravanello. Fantástico!
Não tive a chance de conhecer o Vilmar Bettú. Alguém poderia informar o endereço.

Grato, Wagner.