19 agosto 2011

Ré Conde de La Cruz Merlot


Quando nossa amiga Aline Martins disse que iria ao Equador para visitar a irmã, não tive dúvidas e encomendei um vinho produzido naquele país. Curiosidade de blogueiro, mesmo não tendo ouvido coisas boas dos vinhos de lá.

Ela disse que foi a um supermercado e comprou o vinho "menos suspeito", embora tenha achado estranho ser um Merlot não safrado. Pagou algo em torno dos US$15.

Depois de beber o vinho perguntei a ela se poderia falar o que quisesse e ela respondeu: "claro, não fui eu que fiz o vinho. Fique à vontade". Então tá, Aline.

Posso assegurar que foi o pior vinho que bebi nos últimos tempos. Os aromas são tímidos, um frutado muito discreto, lembrando frutos mais delicados. Nem de longe lembra as características que conheço dos Merlot, independentemente do país de origem. Na boca tem pouquíssimo corpo, um caldo ralo e muito ácido, desequilibrado, com taninos quase inexistentes. Final curto. Não conseguimos chegar nem à metade da garrafa que, na dúvida se serviria para temperar comida, foi para o ralo. Acho que foi bom para desentupir os canos da cozinha.

Aline, obrigado por ter trazido o vinho e também por não ter aceito o pagamento. Acabou ficando como um presente. Experiência que não recomendo a ninguém (só aos sádicos ou masoquistas).

Em tempo: é elaborado pela La Toscana, indústria que produz vinhos, espumantes, frizantes, licores e coctéis.
.
.
.

6 comentários:

Tiago disse...

Lamentável Gil... Surpreende o valor do vinho - achei caro pela má qualidade. Infelizmente este vai para a lista dos "não-compráveis"
Abraço e saúde!
Tiago
PS: Conseguiu fazer funcionar aquele copia-e-cola dos posts no blog? Deixei uma mensagem fo facebook, não sei se chegastes a ver.

Anônimo disse...

Boa tarde,
não sei estaria de acordo com a proposta do blog, mas seria interessante um post sobre como escolher uma adega climatizada, já que se observa uma enorme variedade de preços, capacidade, termoelétrica vs compressor, além de outros dados técnicos e marcas, algumas as vezes não muito conhecidas...

Parabéns pelo trabalho muito instrutivo do blog! é excelente!
Vinicius.

Vinho para Todos disse...

Tiago, você tem razão, pagar US$ 15 por um vinho ruim é um grande prejuízo. Acredito que nem seja vendido no Brasil, então não tem muito risco de você comprar um desses (ainda bem).

Quanto ao problema do blogger, já te respondi lá no Facebook. Obrigado.

Saúde!!!

Tiago disse...

Perfeito, Gil, que bom que conseguiste resolver!

Aproveitando o "gancho" deixado pelo Vinícius: acho o assunto das adegas bem interessante.
Sou engenheiro na área de climatização/refrigeração e já pensei em fazer um post sobre o assunto.
Vinícius, de antemão: as adegas com compressor (que são mais caras) são melhores e bem mais eficazes.
Abraço e Saúde!

Rafael Vecthorius disse...

ótimo site, não entendo nada de vinho, eu gosto mesmo é do porre, da ressaca, e de ter que prometer sempre que não volto a beber. Minha mulher adorou as dicas e eu também, comentei teu site no meu humilde blog.

Abraço.

Vinho para Todos disse...

Rafael, obrigado pelo comentário e pela nota em seu blog que, a propósito, tenho visitado desde então.

Saúde!

Gil Mesquita
www.vinhoparatodos.com