11 novembro 2011

Meu vinho para 11/11/11: Maria Valduga Espumante Brut 2006



Não tenho superstições. Não me preocupo se é sexta-feira 13, não tenho cueca da sorte, nem mudo meu caminho se um gato preto passa na minha frente. Só não gosto de passar embaixo de escadas, mas é por causa do risco, não do azar.

Mesmo assim, não posso perder a oportunidade de publicar um vinho hoje, dia 11/11/11, às 11:11 h. Cheguei a pensar num vinho de 2011 que custasse R$11, mas a Érika me disse que a esse preço seria difícil encontrar alguma coisa boa e sugeriu a escolha de um vinho especial dentre os já programados para postagem. Como não costumo discordar dela (apenas em pensamento), aceitei a sugestão.

Minha escolha recaiu sobre a "jóia do espumante brasileiro", slogan criado pela Casa Valduga para designar esse produto, criado em homenagem à Dona Maria, mãe de Juarez, João e Erielso Valduga, que estão no comando da vinícola.

Aliás, tive o prazer de anunciar seu lançamento aqui no blog em primeira mão, graças à gentileza do gerente de Marketing da vinícola, o tricolor Fabiano Olbrisch (relembre). 

O Maria Valduga é vendido no mercado com grande variação, de R$ 120 a R$ 200. Elaborado pelo método champenoise com uvas Chardonnay (80%) e Pinot Noir (20%), passando pelo menos 48 meses em segunda fermentação. Um espumante de classe, para ser degustado em momentos especiais e uma ótima opção de presente.

Na taça uma coloração amarelo palha. Perlage intensa e elegante, com bolhas pequenas e persistentes. Aromas intensos, frutos brancos, forte presença de notas da fermentação, brioche, casca de pão etc. Bom equilíbrio nos aromas, sem lembrança oxidada que percebo em alguns espumantes brasileiros com maior tempo de autólise. 

Na boca é seco, com açúcar residual presente, mas não com tanta intensidade quanto em outros brut do Vale dos Vinhedos. Fruta muito presente e fermentação em segundo plano. Espumante cremoso, com final longo, repetindo as sensações anteriores. 

Espumante de grande fineza, elegante, sem peso, equilibrado, mantendo frescor e boa complexidade, atributos que o tornam um produto diferenciado, não só por sua beleza, mas pela qualidade do que vai à taça.

Alguém pode dizer que por $120-200 dá pra comprar champagne, mas a qualidade dos famosos espumantes franceses nem sempre é garantida nessa faixa de preços. Não se iluda: há muita mediocridade também no mundo dos champagne.   
 

Saúde a todos!




Nenhum comentário: