13 novembro 2011

A qualidade voltou: Carmen Reserva Pinot Noir 2009


Já morri de amores pelo Carmen Classic Pinot Noir, especialmente quando comentei aqui no blog a safra 2005. Me parecia um best buy. Mas o último que bebi (safra 2008) me pareceu bem inferior. Havia um amargor que me incomodou, embora tenha dado a ele 3 taças pelo que lhe restou de qualidades.

Mas a Viña Carmen deixou de produzir o Pinot da linha Classic e agora só faz o Reserva, com uma mudança crucial na minha opinião: as uvas agora são do Vale de Casablanca, região com bons resultados com essa uva e também para a Syrah, além das brancas Sauvignon Blanc e Chardonnay. As uvas resultam em vinhos de mais personalidade, na maioria dos casos.

Na taça uma coloração grená, com boa transparência. Aromas intensos, frutos delicados (cereja) e especialmente uma lembrança muito clara de goiabada. Lembrança elegante da madeira (tostado).

Na boca é típico, com fruta muito evidente, repetindo nariz. Acidez marcante e taninos presentes, mas sem rusticidade. Notas adocicadas, mas sem serem enjoativas. Pouco corpo. Presença do álcool em evidência (13% de teor). Final longo, sem nenhum amargor. Notas de café, madeira presente acompanhando a fruta, mas sem se sobrepor. Fez bem a passagem do vinho por barricas francesas (10 meses) de diversos usos. Agregou complexidade.  

Abri esse vinho desconfiado, numa terça-feira, imaginando que seria  uma "bomba"... mas me surpreendi. Pronto para beber agora ou em 2012.

Avaliado com preço de mercado a R$ 45. Boa compra.

Saúde a todos!






5 comentários:

J Pires/C Soares disse...

Há muito tempo que acompanhamos este teu maravilhoso blog. este nem será o lugar mais apropriado, mas a verdade é que tens tido o condão de nos deixar muito curioso acerca dos vinhos brasileiros, A verdade é que aqui em Portugal nas garrafeiras é praticamente inexistente, nas feiras e eventos vínicos mais representativos tb nunca demos pela sua presença e mesmo em enoblogs portugueses não se vê grandes referências!A que achas que se deve este fenómeno?

Saudações deste lado do Atlântico

Carlos Soares
http://wineofus.blogspot.com/

Vinho para Todos disse...

Carlos,

não sei responder sua pergunta com exatidão, já que não possuo dados sobre isso.

Mas tenho visto que as entidades que promovem os vinhos brasileiros estão ampliando os mercados e, certamente, isso é feito com critérios sólidos.

Apenas especulando, pode ser que Portugal ainda não seja um mercado que demonstre interesse nos vinhos brasileiros, dai sua ausência nas lojas e eventos.

Esse argumento é o que me parece mais lógico, já que há muitos fatores que nos aproximam (especialmente a língua). Teoricamente é mais fácil lidar com os consumidores portugueses se comparados, por exemplo, aos ingleses, alemães ou chineses. E, por incrível que pareça, a presença do vinho brasileiro nesses mercados tem aumentado ano a ano.

Vou transmitir sua pergunta ao IBRAVIN - Instituto Brasileiro do Vinho e talvez recebamos uma resposta mais confiável que a minha.

Saúde sempre.

Gil Mesquita
www.vinhoparatodos.com

Prof. Guilherme disse...

Olá VPT,
Na realidade, o Carmen Reserva Pinot Noir já era produzido com uvas do vale do Casablanca, desde várias safras anteriores. Também acho q esse fato contribui para melhor qualidade em relação ao Carmen varietal comum. Gosto muito desse vinho, e ainda tenho uma garrafa da safra 2007 em casa. bebi ainda esse ano outra garrafa 2007, e o tempo de guarda fez muito bem ao vinho, arredondando, e reduzindo a sensação alcoólica.
um abraço
Guilherme

J Pires/C Soares disse...

Viva Gil,o que disse tem toda a lógica...acrescentaria apenas um ponto:a desconfiança que os consumidores do chamado velho mundo sempre demonstram relativamente a vinhos provenientes de regiões mais jovens...Pela minha parte, venha o vinho brasileiro, estou mesmo ansioso por o experimentar!

De resto,Obrigado!Aguardemos...Vou tentar obter informações por cá, pode ser que se consiga alguma coisa!

saudações,
Carlos Soares
http://www.vinhoparatodos.com

Orestes de Andrade Júnior disse...

Prezado Gil, desculpe a demora...

Segue a resposta para a questão levantada...

1) Quando identificamos os mercados-alvos para a exportação de vinhos brasileiros, analisamos a presença de vinho importado no Pais. Portugal, apesar de ter uma forte ligação com o Brasil, tem pouca participação de vinho importado por ser um pais produtor e consumidor em sua grande maioria do vinho doméstico, portanto, dentro da priorização, não entrou em nosso hall de mercados. Como a Argentina, por exemplo, que apesar de estar ao lado do Brasil, tem os consumidores locais fortemente identificados com os rótulos nacionais, sem muito espaço para produtos importados.



2) Sobre a pergunta onde encontrar vinhos brasileiros em Portugal, indicamos o El Corte Inglês, em supermercados do grupo Intermarche e em vários restaurantes. Especialmente os vinhos da Vinibrasil.

É isso, abraços!

Orestes Jr.
Assessoria de Imprensa
IBRAVIN - Instituto Brasileiro do Vinho