04 novembro 2011

Uma entrada simples e elegante: Caldinho de mandioquinha ao perfume de gengibre




Adoro cozinhar, comer e beber. No entanto, me preocupo muito com a saúde e em manter a forma. 

À noite sempre prefiro comidinhas leves, com poucas calorias e de fácil digestão. Sou daquelas que procura seguir à risca o ditado: tenha um café da manhã de rei e um jantar de mendigo.

Para uma comida leve, mas servida quente, nada melhor do que dias fresquinhos. Digo fresquinho porque aqui pra nós não existe frio. Uma pena, pois acho sempre que as pessoas ficam mais elegantes no frio, além de ser melhor para degustar um bom vinho.


Como havia ido à feira de sábado aqui perto de casa, comprei ingredientes frescos e mais baratos. A temperatura baixou e não tive dúvida: vou fazer um caldinho com os ingredientes que comprei e servir de entrada num jantar para degustarmos o Sauvignon Blanc da Casa Marin (comentado mais cedo).

Ingredientes para o caldo

- 4 unidades de mandioquinha (batata baroa) grandes, descascadas e cortadas em grandes pedaços
- 1 litro de caldo de legumes. Sempre faço o caldo antes e congelo. Você pode colorar os ingredientes de sua preferência: cenoura, salsa, salsão, folhas de louro etc. Não gosto de usar caldos prontos, industrializados, mas se não der tempo, use um caldo em cubos.
- 1 colher (chá) de gengibre descascado e ralado.
- 1 dente de alho picado.
- Azeite de boa qualidade (extra virgem).
- Sal e outros temperos a gosto.

Modo de preparo

Depois de descascar e cortar a mandioquinha (batata baroa), coloque os pedaços em uma panela e cubra com o caldo de legumes. Deixe ferver e quando estiver quase cozida, acrescente o alho picado e o gengibre descascado e ralado.

Quando estiver quase desmanchando, desligue o fogo e coloque tudo no liquidificador. Bata até obter um creme homogêneo. Sirva em porções individuais. Eu servi em xícaras grandes que tenho em casa, mas você pode utilizar qualquer outro recipiente que tiver.

Finalize com um fio de azeite. Sirva quente. Se preferir, pode decorar com folhas de manjericão fresco (como na foto) ou salpicar com croutons.


Metendo a colher

- Essa receita é muito simples, prática e saborosa. Mas, recomendo a quem não gosta de comida líquida que deixe cozinhar bastante e não bata no liquidificador, servido em pedaços.

- Outra coisa que pode ser feita é acrescentar creme de leite ao caldo, deixando ele mais cremoso. Também pode ser usado para decorar, fazendo desenhos por cima.

- Se não tiver mandioquinha o mesmo caldo pode ser feito com batata normal, batata doce ou cenoura.

- Sobre a harmonização, sou suspeita. Se quiser me agradar, me dê um Sauvignon Blanc do Vale de Casablanca, no Chile. Estivemos por lá e realmente essa região é a que mais gosto naquele país.

- Cuidado com a quantidade de gengibre, pois o excesso pode atrapalhar a harmonização.

- Essa receita é uma ótima opção para receber os amigos com delicadeza. Pode ser servido como entrada para um jantar, por exemplo, ou pode mesmo ser a entrada.

Bom apetite!

Érika Mesquita

5 comentários:

Vinho para Todos disse...

Esse blog realmente está mais colorido e saboroso depois que você passou a escrever comigo.

Bjos.

Ricardo Brito disse...

O blog já era bom agora está ótimo! Acredito que vinho é ótimo mas, deve ser na maioria das vezes acompanhado de comida e receitas práticas como essas são sempre uma boa para quando queremos fazer algo diferente e rápido.
Muito bom!!

Érika Mesquita disse...

Ricardo,

fiquei muito feliz com seu comentário. É bom ler algo assim agora que estou começando a colaborar com o blog.

minha ideia é sempre pubicar receitas práticas mesmo, como as que fazemos em casa no dia a dia.

sua opinião será sempre bem vinda.

obrigada,

Érika Mesquita

Anônimo disse...

Érika,

acompanho o blog a muito tempo e realmente um tempero feminino caiu muito bem.

Vou testar essas receitas e te dou um feed back, tá?

Abs,

Renata Perdizes

Anônimo disse...

Érika, gostei da receita e da sua forma de comunicar. Muito legal!
Esse creme com o Lagar de Darei Branco Grande Escolha será um estouro. Vou testar um dia desses e te digo.

Um abraço,

Julio Cesar Schmitt Neto
Porto Mediterraneo