02 março 2012

A ótima experiência de degustar com Ademir Brandelli

Foto: Vivian Costa

No dia 11/2 tive o prazer de retornar à Don Laurindo e reencontrar o enólogo Ademir Brandelli, que eu conhecia de outras situações, mas com quem nunca tive o prazer de conversar com calma. A visita foi viabilizada pelo jornalista Orestes Andrade Jr., que estava fazendo fotos para uma matéria que publicará em breve. Participaram também o Tiago Bulla, do blog Universo dos Vinhos, e sua esposa Vivian.

Em resumo, Ademir Brandelli é  um apaixonado por vinhos e adora conversar sobre isso. É um incansável viajante e, segundo eu soube, vira turista em outros países e faz questão de degustar tudo que encontra e sempre toma notas. Defende que conhecer novos produtos no Brasil e no exterior é fundamental para um enólogo.

Outra característica dele é que parece gostar mais de beber seus vinhos e conversar sobre eles do que vendê-los. Verdadeira ou não essa minha impressão,  o fato é que sempre que encontro os proprietários das vinícolas e se estes forem enólogos, há uma certa dificuldade em falar de vendas.



Já no início da visita fui incumbido de escolher qualquer vinho na adega histórica da vinícola. Tarefa difícil. Indiquei três e o Tiago Bulla decidiu um rótulo: o Assemblage 1995. Logo o Ademir disse: "esse foi o primeiro corte que fiz aqui na Don Laurindo, assim que cheguei de uma viagem a Bordeaux". Não poderíamos começar melhor. 



Ao longo da conversa Ademir Brandelli se revelou um apaixonado por assemblages e pela uva Tannat, tanto que em seus cortes essa uva sempre aparece.

Perguntei a ele se a Merlot é realmente a "uva emblemática" do Brasil ou apenas uma estratégia de marketing. A resposta foi positiva, porque nas condições climáticas da Serra Gaúcha, especialmente do Vale dos Vinhedos, é a uva que melhor oferece condições para vinhos de qualidade.

Os vinhos degustados foram muitos, sem pressa, sem uso de decanter. Apesar de a idade indicar que haveria resíduos, até porque os vinhos não eram filtrados, nenhum deles apresentou depósitos. Além disso, Ademir tem uma preferência que eu também tenho: decantar o vinho e deixá-lo evoluir sozinho torna a degustação menos interessante. Enfim, deixamos que todos evoluíssem na taça, a olhos (e narizes) vistos.

Os vinhos degustados e apreciados lentamente foram:

- Don Laurindo D'Assemblage 1995 - um vinho espetacular, evoluído, vivo, com linda coloração (foto abaixo) e mostrando aromas variados no decorrer da degustação. Fruta madura, frutos secos, estrebaria, tostado, tudo que um grande vinho demonstra. Em boca ainda apresenta acidez marcante e taninos que ainda poderão evoluir. Incrível experiência.



- Don Laurindo Reserva Cabernet Sauvignon 2007 - vinho com boa fruta madura, mesclada com notas amadeiradas. Um vinho ainda muito jovem, que evoluirá com a guarda. R$36

- Don Laurindo Reserva Assemblage 2006 - vou resumir esse vinho com o que disse ao Ademir Brandelli: esse vinho numa degustação às cegas com Bordeaux de até R$100 tem grande chance de levar o primeiro lugar. Vinho de estilo Velho Mundo, com longa estrada pela frente, a incríveis R$ 42 no varejo da vinícola. Corte de Merlot, Cabernet Sauvignon e Tannat.  

- Don Laurindo Reserva Merlot D.O. 2009 - ainda é o único vinho da vinícola produzido sob as especificações da Denominação de Origem Vale dos Vinhedos. É um vinho carnudo, com muita fruta e madeira presente. Se você comprar e abrir agora certamente ficará com uma pontinha de arrependimento, pois ainda não está pronto e ainda evoluirá nos próximos 5 anos (ou mais). No varejo a R$60.    

- Don Laurindo Merlot 2011 - proposta da vinícola para atender um público que ainda está começando no mundo dos vinhos finos. É frutado e leve, diferente dos vinhos de guarda que a vinícola produz ao estilo Velho Mundo. Vendido no varejo a R$30.

Provamos também um espumante Brut elaborado com a variedade Malvasia de Cândia (R$42), que pelo inusitado foi comentado ontem para a Confraria Brasileira de Enoblogs.

Em resumo, os vinhos de guarda da Don Laurindo têm bons preços e a receita para melhor apreciá-los é a seguinte: compre várias garrafas de seus rótulos preferidos e vá abrindo a cada 2 anos. Será prazeroso apreciar sua evolução.

Para saber mais: www.donlaurindo.com.br 

Saúde a todos!

2 comentários:

Silvestre disse...

Gil, tive a oportunidade de conhecer a vinícola no mês passado também.Pude conhecer o seus novos e tb seus antigos. Foi muito legal, realmente o Ademir e seus vinhos são bem interessantes.

Vinho para Todos disse...

Silvestre,

obrigado pela visita e pelo comentário.

Saúde!