09 maio 2012

Syrah brasileiro? Bebi e recomendo: Almaúnica Reserva Syrah 2010


Comprei esse vinho no varejo da vinícola, mas não me lembro exatamente quanto paguei, mas foi algo abaixo dos R$50. Também não me lembro a data, mas o Márcio Brandelli ainda não o havia colocado à venda. Comprei porque insisti bastante. Para o enólogo, o vinho ainda não estava pronto e se fosse aberto naqueles dias talvez não revelasse toda sua qualidade. 

Lembro também que em junho de 2011 estive com outros amigos blogueiros no Vale dos Vinhedos e gostamos bastante desse vinho. Mas as impressões aqui relatadas são de março de 2012, quando abri a garrafa que comprei na vinícola.

É um vinho que revela a qualidade e o estilo próprio da Vinícola Almaúnica, uma das mais jovens da Serra Gaúcha. É um varietal de Syrah com passagem por barricas francesas e americanas (50/50) pelo período de 12 meses. Metade das barricas são de primeiro uso e a outra metade de segundo uso, garantindo uma interferência menos intensa da madeira sobre o vinho.

Na taça o vinho tem coloração púrpura, com lágrimas grossas. No nariz os aromas apresentaram boa intensidade, frutos vermelhos, notas lácteas, algo vegetal, flores, ervas aromáticas, revelando boa complexidade e, claro, a inconfundível tipicidade brasileira. 

Em boca é macio, tem corpo médio, taninos aveludados, boa acidez, notas adocicadas, muita fruta, café e chocolate em segundo plano. Final longo, repetindo fruta, chocolate, café e um levíssimo amargor. Vinho gastronômico, equilibrado, pronto para beber. Se estiver em boas condições de guarda, acredito que ainda estará no auge em 1 ano.

Não sei quantas garrafas foram produzidas, mas por uma boa coincidência abri a de nº 10.000, como se vê abaixo.

  
Talvez alguém vá dizer: mas por esse preço eu posso comprar um Syrah/Shiraz chileno, sul-africano ou australiano de boa qualidade. Realmente, mas as experiências são diferentes. A avaliação que fiz não compara esse vinho com nenhum outro Syrah, pois são apenas o relato de suas qualidades próprias. Além disso é preciso perceber que os tintos brasileiros têm características próprias, goste você ou não.  

Saúde a todos!



7 comentários:

johnny disse...

Por falar em tinto brasilerio...hoje um do qual eu não esperava nada me surpreendeu; Monte Paschoal Merlot, vale a pena prover! Abç

Gil Mesquita disse...

Johnny, muito obrigado pela dica.

já bebi vinhos Monte Paschoal e até já comentei aqui no blog.

Um Pinot Noir entrou no ar dia 26/08/2011.

Quando voltar ao Sul vou procurar esse merlot. Valeu.

Anônimo disse...

Olá!

Essa vinícola é uma das mais bonitas que já vi no Brasil.

Provei os vinhos lá mesmo no varejo e gostei muito.

Abs,

Luiz Cesar Peixoto

Lucas Provenzano disse...

Realmente este Syrah é um ótimo vinho. Estive nesta vinícola na ultima segunda feira, e pude degustar um lançamento, o Almaúnica quatro castas, elaborado com 34% de Syrah, 22% de malbec, 22% de merlot e 22% de cabernet sauvignon. O preço pode parecer um pouco Salgado, 85 reais, mas na minha opinião vale a pena. Se tiver a oportunidade ( e aceitar a sugestão) de comprar um garrafa e experimentar, gostaria de saber qual seria o seu veredicto sobre este vinho.
Gosto muito deste blog, bem honesto e com dicas ótimas.

Abraços

Gil Mesquita disse...

Caro Lucas,

gosto muito dessa vinícola. Ainda não experimentei esse corte. Agora em setembro irei ao Vale novamente e espero visitar o Márcio Brandelli e degustar o vinho. Se tiver condições de fazer minhas anotações vou postar aqui no blog.

valeu pela sugestão.

Saúde!

Hennig disse...

Ontem visitei essa vinícola e provei este vinho da safra 2013. Apaixonante, gostei mais dele do que do vinho super premium deles, o Quatro Castas. Inclusive levei um desse Syrah para casa.
Abraço.

Rodrigo Gerhard Delforge disse...

Conheci a vinícola, achei uma das que melhor estão no caminho do enoturismo na região de Bento Gonçalves. Esse Syrah realmente é bem interessante, foi um dos poucos, entre tantos que experimentei na região, que me empolguei a trazer um exemplar. Como você mesmo colocou no seu texto, este Syrah é uma experiência diferente dos chilenos e cia, os quais gosto bastante (por exemplo o La Joya, que tem um ótimo custo benefício). Mas acho ótimo que nossos vinhos estejam nesse movimento crescente de aperfeiçoamento.