08 junho 2012

Vale conhecer esse espumante brasileiro: Estrelas do Brasil Brut


Abrimos esse espumante na companhia dos amigos do Le Vin au Blog e Vivendo Vinhos, quando estiveram por aqui em abril. Abrimos a noite com um espumante brasileiro mais leve e depois passamos a esse, que eu já conhecia da visita à vinícola e sabia que era mais estruturado, mais complexo. 

É um espumante elaborado pelo método tradicional (Champenoise) com as variedades Chardonnay, Viognier e Riesling Itálico, cultivadas na Serra Gaúcha, em vinhedos de Nova Prata e Galópolis.

Estive em fevereiro na Estrelas do Brasil e tive oportunidade de ser surpreendido duas vezes: primeiro porque o lugar é um dos mais bonitos da Serra Gaúcha, de onde se avista quase na totalidade o Vale Aurora e conheci as ideias da empresa para o enoturismo. Segundo, porque o enólogo Irineo Dall'Agnol é uma das figuras mais interessantes que conheci nessas andanças por mais de 30 vinícolas brasileiras.

Ele é pesquisador da Embrapa e fundou a empresa com o amigo e enólogo Alejandro Cardozo, uruguaio que também está à frente dos ótimos espumantes e vinhos da Guatambu.

Na visita pude saber, para minha grande surpresa, que o Irineo conduz seus vinhedos pelo sistema de latada (horizontal), contrariando a prática quase unânime da região que prefere o sistema de espaldeira (vertical).  Vale a leitura de um breve artigo disponível no site deles (clique aqui).

Por isso tivemos oportunidade de fazer uma longa caminhada pelos vinhedos, passando literalmente por baixo das videiras, conhecendo in loco as justificativas do Irineo para a sua prática, vendo também na prática sua DMD (dupla maturação direcionada) para a produção de um tinto espetacular que provamos. Aliás, no rótulo desse tinto (safra 2005) há a indicação de decantação por 10 horas. Já viram isso?

Enfim, não dá pra descrever aqui as inúmeras surpresas que tivemos nessa visita, por isso aconselho a quem estiver na região que agende uma visita pelo site. Vale muito.

Quanto ao espumante, ele tem coloração dourada, com perlage fina e intensa. Os aromas são intensos, maduros, forte presença da fermentação, melado, rapadura, mel, algo lembrando destilados e oxidação. Grande complexidade no nariz. Na boca é cremoso, com boa acidez e estrutura. Final longo, repetindo sensações do nariz. Gastronômico. Mais indicado para acompanhar refeições do que para simplesmente bebericar. Vinhos complexos como esse podem se tornar difíceis se desacompanhados de comida. 

Pela garrafa paga-se algo em torno dos R$41 no Rio Grande do Sul. A esse preço é uma ótima compra. Um espumante que merece ser conhecido, desde que você goste ou deseje conhecer um espumante mais estruturado e complexo. Se seu estilo é para espumante mais leves, refrescantes e menos intensos, não aconselho a compra. 

Saúde a todos!






Um comentário:

Anônimo disse...

O lugar é lindo e os espumantes são fantásticos!

vale conhecer mesmo e compartilhar um pouco da companhia do Irineu é espetacular.

abs,

Horácio Z.