11 agosto 2012

Entrevistamos o crítico Rui Falcão, que falou sobre a campanha da ViniPortugal e Essência do Vinho


A ViniPortugal, através da Essência do Vinho, realiza uma campanha de promoção dos vinhos portugueses em 12 cidades brasileiras. Iniciada em julho a ação irá até o mês de setembro, em 30 eventos de formação dirigidas a profissionais da área, imprensa especializada e formadores de opinião. Basicamente as ações se dividem em cursos com duração de 6 horas e jantares harmonizados. 

No último dia 9 de agosto estivemos em Ribeirão Preto para participarmos de um jantar harmonizado, realizado no restaurante Flor de Sal, comandado pelo chef Tiago Caparroz.

Antes do evento tivemos o prazer de conversar com crítico e jornalista de vinhos Rui Falcão, que nos falou sobre a campanha em prol do vinho português. Logo em seguida ele proferiu uma breve palestra sobre as regiões que seriam representadas naquela noite, já que provaríamos alguns importantes rótulos brancos e tintos. 

O primeiro vinho provado foi um ótimo representante dos Vinhos Verdes, o Alvarinho Deu La Deu, elaborado na sub-região de Monção e Melgaço. O segundo vinho foi também um branco da região do Douro, o Alves de Sousa Branco da Gaivosa 2010, capaz de salivar a boca apenas com seus aromas. Enfim, dois ótimos aperitivos para o que viria a seguir. 

A entrada servida foi um Pirarucu Defumado, acompanhado de compota de cebola e mousseline de batata. A  harmonização ficou perfeita com um vinho branco da região do Dão, o Quinta dos Roques Encruzado 2008. Esse foi o vinho que mais me impressionou dentre todos da noite, embora tenhamos bebido excelentes tintos. Mas a complexidade aromática, a acidez extraordinária e a capacidade de envelhecimento fazem dele um vinho a ser conhecido.

O prato principal foi uma Porquetta (leitoa de leite, desossada e recheada), acompanhada de risotto de aspargos e cogumelos. Para harmonizar com esse prato foram escolhidos três ótimos tintos, de regiões diferentes e características também muito distintas.

O primeiro tinto foi o CH by Chocapalha 2009, elaborado com 100% Touriga Nacional, na região de Lisboa, um vinho bem aromático, capaz de demonstrar toda a intensidade dessa uva emblemática de Portugal.

O segundo foi o Quinta do Crasto Reserva Vinhas Velhas 2009. Esse foi o vinho que deixei por último na taça, para bebê-lo lentamente. É elaborado com uvas provenientes de vinhas com muitas dezenas de anos e variedades desconhecidas pela própria vinícola. Aliás, o Rui Falcão fez questão de realçar essa prática portuguesa de elaborar vinhos. Caso alguém resolva perguntar ao enólogo quais as variedades utilizadas, certamente a resposta seria: "não sabemos. Nem nos interessa saber". Um vinho intenso e de extrema elegância. 

O terceiro, o Quinta das Bageiras Garrafeira Baga 2004 é um ótimo exemplo das melhores características dessa uva, maior representante da região da Bairrada, que dá vinhos com  muita acidez e taninos poderosos, que demoram muitos anos para se tornarem macios. Portanto, grande capacidade para acompanhar as refeições e grande potencial de guarda. Foi o que comportou-se melhor com a Porquetta.

A sobremesa encerrou muito bem a noite, mantendo o alto nível dos pratos servidos. Foi servido um Cheesecake com compota de goiaba, harmonizado com o Alambre Moscatel de Setúbal 2007, elaborado pela José Maria da Fonseca.

Nossas impressões sobre o evento foram ótimas. Apesar da correria de percorrer os quase 300 km de distância entre Uberlândia e Ribeirão Preto, valeu cada minuto passado na companhia de ótimos vinhos e de excelentes figuras humanas. Rui Falcão e o diretor da Essência do Vinho, Nuno Pires, foram muito gentis e sentaram-se à nossa mesa, proporcionando momentos descontraídos em torno de uma paixão única.

A próxima parada desses "embaixadores do vinho português" será em Campinas, nos dias 13 e 14 de agosto. 

Saúde a todos!

Nenhum comentário: