12 abril 2013

Exuberante: Benmarco Malbec 2009 #malbecworldday

Um vinho capaz de demonstrar toda a exuberância que tornou a Malbec a uva mais importante da Argentina.


Esse vinho tem coloração púrpura, sem reflexos de evolução. Ao servir a taça os aromas tomaram conta do ambiente, início com muita baunilha, côco queimado (sim, aquele do picolé), pimenta, frutos vermelhos maduros, ameixa, especiarias e uma pontinha do álcool (14% de teor). 

Na boca tem muita fruta, bom corpo, taninos que ainda vão amaciar, boa acidez e novamente o álcool dando potência e esquentando um pouco. Daqueles vinhos que você segura um gole na boca e fica procurando desequilíbrio, mas não encontra. Final de longa persistência, com madeira no palato e muita fruta madura. 

O estilo é o que internacionalmente consagrou os Malbec argentinos, com vinhos de alta concentração, muito maduros, potentes, prontos para beber e com notas adocicadas. Estilo que pode ser questionado por paladares que já estão migrando para vinhos menos intensos (como eu mesmo), mas é impossível não reconhecer as qualidades desse vinho elaborado com maestria pela Susana Balbo em sua bodega Domínio del Plata, em Mendoza.

Em sua elaboração a Malbec entra com 90% e os outros 10% são completados com outra importante uva para os argentinos, a Bonarda, de origem italiana. Tem passagem de 13 meses por barricas francesas e americanas.

Pode ser bebido agora ou guardado por mais 2-3 anos.  


Detalhes da compra:

Essa garrafa eu comprei numa loja que fechou aqui em Uberlândia, com 20% de desconto. Mas, na internet pode ser encontrado na faixa dos R$ 66-80, como por exemplo: Wine, Vinhocracia, Celebrai etc. É importado pela Cantu.      

Saúde a todos!


2 comentários:

Anônimo disse...

Gil, dá pra comparar esse malbec com o Marshall (bodegas goulart)? Entre os dois qual você achou mais interessante?

Grande abraço,
João

Gil Mesquita disse...

João, esperava muito que alguém fizesse essa pergunta.

os dois malbec são diferentes, na minha opinião, embora ambos excelentes. Numa análise deixando de lado o gosto pessoal dei minha pontuação máxima (5 taças).

quando fui escolher um título para o post do Benmarco a palavra "exuberante" me pareceu bem apropriada, porque é uma explosão de frutas vermelhas maduras, um vinho potente, mas macio e com boa presença da madeira. O estilo é o que internacionalizou a malbec.

já o Marshall é menos potente, tem menos exuberância. Achei ele mais elegante e mais interessante, com uma complexidade maior.

se estivesse diante de ambos numa loja e só pudesse comprar um, levaria o Marshall. Mas, repito, ambos são ótimos exemplares da malbec na Argentina.

saúde!

Gil Mesquita