01 maio 2013

O vinho do mês para a Confraria Brasileira de Enoblogs: Punto Final Malbec Reserva 2010 #cbe

Embora não conste no rótulo esse vinho é conhecido como "etiqueta branca", informação que pode facilitar sua busca na internet. Interessante que a marca d'água do rótulo traz notas de degustação.

Esse é o 81º vinho que comento para nossa Confraria Brasileira de Enoblogs - CBE. Dessa vez o tema é Malbec argentino, mas não foi sugerido por nenhum dos confrades. Na verdade chegamos ao tema em razão do incentivo dado por uma instituição que enviou vinhos para quase todos os blogs participantes, a Wines of Argentina. 

No meu caso recebi um 100% Malbec elaborado pela Bodega Renacer, que iniciou seus trabalhos em 2004 em Perdriel, Luján de Cuyo, aos pés da Cordilheira dos Andes. Sua capacidade atual de armazenamento é de 1.647.000 litros. Conta atualmente com 29 hectares de vinhedos próprios, onde existem videiras de Malbec com mais de 50 anos de idade. 

No site há informações diversas sobre manejo sustentável da produção, desde os vinhedos até a utilização de "garrafas ecológicas", fabricadas com menos vidro para o bem do meio-ambiente. Ainda segundo o site foi a primeira vinícola argentina a utilizar energia solar e a primeira a neutralizar as emissões de carbono, além de utilizarem água armazenada do degelo dos Andes para irrigação das plantas, utilização de papel reciclado em seu material de propaganda etc.

Na taça o vinho tem coloração violácea. No nariz apresenta aromas bastante intensos, frutos vermelhos, especiarias, cedro, tabaco e notas mentoladas. Em boca é ainda melhor que nos aromas. Tem bom corpo, com taninos finos e uma acidez que surpreendeu. Muita fruta, notas adocicadas que caracterizam bem os Malbec mendocinos, tostado e caramelo no retrolfato. Fácil de beber e agradar. Não é daqueles vinhos "mastigáveis" de tão densos.

O final é longo, com fruta, especiarias e notas da madeira formando  um bom conjunto. A boca fica levemente seca por conta dos taninos. É um vinho com potência alcoólica. Os 14,9% não estão em desequilíbrio, mas indicam um vinho pra acompanhar comidas e não só para bebericar.   

Passa de 10 a 12 meses por barricas de carvalho francês. É amadeirado mas sem exageros. Deve ficar mais elegante com uns 2-3 anos de guarda.

Merece 4,5 taças pelo potencial que tem e pelo que já demonstra atualmente.


Detalhes da compra:

Esse vinho é importado pela Vinhos do Mundo, de Porto Alegre. Encontrei o vinho em lojas virtuais com preços entre R$ 69-75, mas como disse a garrafa me foi enviada para degustação pela Wines of Argentina, ainda dentro da programação realizada em comemoração ao Dia Mundial do Malbec, em 17 de abril. 

Saúde a todos!


2 comentários:

Marcello Galvão disse...

Fala Gil!

Provei esse vinho no Cadeg no RJ,gostei muito e o preço era bem em conta,se não me engano ficava na casa de trinta e poucos reais.

Abraço e saúde!

Marcello Galvão
www.agendadevinhos.com

Fernando cezar de melo pontes disse...

Bom saber que vende este vinho no CADEG! Gosto muito dele, mas só tomei o de Etiqueta Negra. Outra ótima sugestão, mas difícil de encontrar, é o Chileno TOIRO DE PEDRA, conhecem?

Bom dia a todos,

Fernando Melo