07 junho 2013

Veja que inusitado, um vinho da Eslovênia: Bagueri Chardonnay 2008


Já pensou como seria interessante provar vinhos de todos os países produtores? Pois é, acredito que todos que escrevem sobre vinhos têm esse sonho. Então, está explicado porque comprei um vinho branco da Eslovênia, mesmo um pouco acima da faixa de preços do meu cotidiano. É o 20º país produtor comentado aqui no blog.

A Eslovênia está localizada entre a Itália, Áustria, Hungria e Croácia. Tornou-se independente da Iuguslávia em 1991 e faz parte da União Europeia desde 2004. A produção de vinhos existe há mais de 2.500 anos na região, que hoje tem cerca de 24 mil hectares de vinhedos plantados. 


É elaborado pela maior vinícola do país, na verdade uma cooperativa, que teve suas atividades iniciadas em 1922 e que também dá nome à região produtora: Goriska Brda, em amarelo no mapa acima.

Seus vinhedos ocupam cerca de 1.200 hectares, divididos entre variedades internacionais, como Chardonnay (16%) e Merlot (20%), e autóctones (nativas), como Brda Rebula (27%) e Sauvignonasse (12%). O restante está dividido entre Pinot Grigio, Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Pinot Blanc, Pikolit, Verduc, Pinot Noir e Syrah.

O rótulo do vinho contém expressões próprias do país: 
- Suho - vinho seco
- Vrhunsko vino ZGP – vinho de alta qualidade (premium)
- Proizvedeno in polnjeno v vinski kleti – produzido e engarrafado na vinícola
- Pridelano v Sloveniji – Produzido na Eslovênia
- Vinska klet – adega / vinícola

É um 100% Chardonnay, com uvas de vinhedos antigos, com cerca de 30 anos de idade. Foi fermentado em barricas de carvalho francês e permaneceu por 9 meses em contato com as borras da fermentação, as leveduras mortas que costumam dar ao vinho maior complexidade aromática, chamado pelos franceses de sur lie

Vinho de cor dourada. Aromas intensos, principalmente frutos maduros lembrando abacaxi em calda, mas também os aromas provenientes da madeira, um certo amanteigado e elegante tostado. Na boca tem bom corpo, é untuoso, de boa complexidade, com notas levemente adocicadas e boa acidez.

Final de boa persistência, com palato marcado por muita fruta doce e pelas características deixadas pela madeira, como manteiga e tostado. 

Elegante vinho, equilibrado, sem peso apesar dos 14% de álcool, mas no momento ideal de consumo, porque não deve evoluir com a guarda.


Detalhes da compra:

O vinho é importado pela Winelands, de Caxias do Sul, mas foi comprado por R$95 no site da Sonoma. O preço compensa a experiência única de provar um vinho de um país pouco usual, mas tenho dúvidas se repetiria a compra. Porém, se você não tem problemas com as "verdinhas", é uma compra interessante. 

Saúde a todos!


Nenhum comentário: