17 julho 2013

Um dos mais interessantes brancos uruguaios: Bouza Albariño 2012

O rótulo simples segue a linha adotada pela vinícola, realçando a conhecida imagem de sua cantina

Quando estivemos no Uruguai, em março, um dos vinhos que colocamos de imediato em nossa lista de compras foi esse Albariño, que experimentamos no restaurante da Bodega Bouza. Aliás, um dos imperdíveis programas enogastronômicos do país, para o qual você deve reservar algumas horas de seu dia. 

Esse vinho é um varietal da uva Albariño, assim chamada pelos espanhóis, ou Alvarinho, nome pelo qual os portugueses a conhecem. Na região dos Vinhos Verdes (Portugal) e também em Rias Baixas (Espanha) dá ótimos vinhos, frescos, aromáticos e gastronômicos.  

E conhecendo essas características da uva em solo europeu posso assegurar que o resultado obtido pela Bouza é muito próximo do que se tem por lá. Um diferencial talvez seja a  breve passagem por madeira: 15% do vinho fermentou em barricas de carvalho francês e permaneceu em contato com as borras por 3 meses.  

Foram elaboradas pouco mais de 25.000 garrafas com uvas provenientes das duas propriedades da vinícola: Las Violetas, localizada a 39 km do centro da capital Montevidéu onde a vinícola tem aproximadamente 12 hectares de vinhedos; e Melilla, onde está localizada a cantina e são mantidos 10 hectares de vinhedos. 

Na taça o vinho tem coloração amarelo palha. Os aromas têm boa intensidade, com destaque cítrico, mas também frutos brancos (pêra) e discreta lembrança da fermentação. Em boca tem grande acidez, quase picante, demonstrando muita vocação para acompanhar comida. Final médio-longo marcado também por boa mineralidade e certa complexidade. Álcool a 13,5% sem incomodar.


Detalhes da compra:

Não me lembro exatamente quanto paguei pela garrafa no Uruguai. Para o Brasil é importado pela Decanter e no site a safra 2012 ainda não está disponível. Mas ao julgar pelo Chardonnay e o Tannat da mesma linha, deve ser vendido na casa dos R$74. 




3 comentários:

Rodrigo Vieira Pinto disse...

Este vinho é espetacular. Vai muito bem jovem, com muito frescor, mas aconselho experimentá-lo com 4 a 5 anos de garrafa. Terás uma bela surpresa.

Le Vin au Blog disse...

Muito bom!

Anônimo disse...

Comprei duas garrafas da safra 2013. Quando experimentar aviso.