23 agosto 2013

Uma experiência necessária para quem gosta de vinhos brancos: Miguel Torres Viña Esmeralda 2011

Duas uvas bastante aromáticas resultaram num vinho muito agradável, do nariz à boca.

Quando falamos em uvas brancas é possível dividi-las em variedades aromáticas e não-aromáticas, como acontece em alguns concursos. A Chardonnay e a Sauvignon Blanc, por exemplo, estão no grupo das não-aromáticas. Já entre as aromáticas estão a Moscatel, a Malvasia e a Gewürztraminer, que são reconhecidas com certa facilidade por quem algum dia já experimentou esses vinhos. 

Esse vinho da Catalunha, elaborada pela gigante Bodega Torres, é um exemplar interessante porque reúne duas variedades de aromas intensos e exóticos, a Moscatel de Alexandria (85%) e a Gewürztraminer (15%). Sem passagem por madeira é um vinho "franco", ou seja, demonstra exatamente o que as variedades entregam sem a interferência das barricas de carvalho, que talvez o deixassem mais pesado e menos fresco. 

Na taça a cor é amarelo palha, com reflexos esverdeados. Um mix de aromas em boa intensidade toma conta do nariz, ervas aromáticas, alecrim, flores, algo mineral, chá verde e frutos brancos. No nariz já indica um vinho de muito frescor. 

Na boca é leve, de boa acidez. Aromas se repetem, mas as sensações minerais ganham destaque. Final de média persistência, com palato marcado pelo mineral. Um vinho ótimo como aperitivo, mas ao degustá-lo me veio logo à cabeça uma porção de camarões grelhados. Tem cara de mariscos, peixe frito e dias de calor.  

Uma experiência necessária para quem gosta de vinhos brancos e a um preço justo. Não é um vinho de guarda, então compre safras recentes (como esse 2011) para aproveitar todo seu vigor de aromas e refrescância.


Detalhes da compra:

Comprei esse vinho com 25% de desconto pelo site da Wine, que fez uma promoção para os associados de seu clube. Mas o preço normal, sem desconto é R$ 59. Mesmo assim uma boa compra se considerarmos a experiência que ele proporcionará. 

Saúde a todos!



Nenhum comentário: