09 setembro 2013

Argentino sim, mas com um pé na Itália: Masi Tupungato Passo Blanco 2011

Para preservar os aromas e o frescor das variedades, o vinho não passa por barricas de carvalho.


Bebi esse vinho em várias ocasiões e sempre o considerei uma compra acertada, seja porque você quer se refrescar num dia de calor, seja porque quer uma boa companhia para frutos do mar, para os camarões grelhados, sua salada favorita, para a comida japonesa etc.

É um interessante corte entre duas variedades que simbolizam dois grandes países produtores: a Pinot Grigio (Itália) e a Torrontés (Argentina). Isso porque o produtor, a tradicional Agricola Masi, produz em solo argentino alguns vinhos com uvas típicas dos dois países. O tinto dessa linha, por exemplo, é elaborado com Corvina e Malbec.

Na taça a cor é amarelo palha. Aromas em boa intensidade, com destaque para os frutos tropicais (lichia, abacaxi) comuns na Torrontés. Floral discreto. Na boca tem boa acidez, deixando o vinho refrescante, além de uma sensação mineral bem marcante. Boa personalidade, trazendo à mente as características das duas variedades, simbolizando a elegância dos brancos italianos e a força dos argentinos. 

Final de boa persistência, agradável, que deixa a boca limpa pedindo mais um gole. Ótimo como aperitivo ou para acompanhar comida, como dito acima.  


Detalhes da compra:

Esse vinho é importado pela Mistral, que o vende por R$59 atualmente. Um preço no limite do razoável, mas que vale para conhecer um vinho com proposta diferente dos varietais. Curioso que em um site de buscas de preços (www.wine-searcher.com) encontra-se o mesmo vinho a preços bem mais interessantes, variando de R$15 (Estados Unidos) a R$32 (Canadá). Seria o tal "custo Brasil"?

Saúde a todos!



2 comentários:

Anônimo disse...

esse vinho é um clássico, uma compra certa da Mistral. Mas, como disse o post, poderia ser mais barato. Fiquei curioso pra saber quanto ele custa na Argentina. Alguém sabe informar?

Abs,

Ricardo Souto

Anônimo disse...

Custo E Lucro Brasil...