13 janeiro 2014

Abrimos uma raridade da histórica safra brasileira: Gran Báculo Cabernet Sauvignon 2005


Alguns vinhos gozam de uma boa reputação entre os enófilos mais curiosos. São vinhos que não estão à venda em grandes redes ou mesmo lojas virtuais, mas podem ser garimpados em pequenos varejos ou na própria vinícola.

Esse vinho é um deles, um 100% Cabernet Sauvignon da safra 2005 e elaborado pela Vinícola Salvador, de Flores da Cunha. Para algumas pessoas que conheço é um dos grandes vinhos da histórica safra e foi aberto recentemente, com quase nove anos de idade.

A produção foi limitadíssima, com apenas 6.666 garrafas, com rolhas numeradas individualmente e num livro são anotados os nomes dos compradores de cada garrafa. Aliás, chama atenção o modelo Borgonha da garrafa, utilizado comumente para Pinot ou Chardonnay.

As uvas para esse vinho foram colhidas mais tarde, com diferença de 7 dias para as Cabernet Sauvignon de outro vinho deles, o Reserva, e não tem passagem por madeira. Segundo Daniel Salvador, enólogo da vinícola, esse é "o grande diferencial, comprovado na degustação onde as notas organolépticas que a madeira confere não são percebidas". 

Sede da vinícola Salvador, em Flores da Cunha. Foto: Joice Lavandoski - Enoeventos

Na taça o vinho tem coloração rubi, com discretos reflexos atijolados, demonstrando a evolução natural de um tinto com essa idade. 

Aromas fechados de início, mas após um tempo em taça apareceram os frutos vermelhos, com especiarias e feno em segundo plano. Boa complexidade para um vinho sem madeira. 

Em boca tem corpo mediano, com acidez bem presente, deixando o vinho suculento. Boa fruta. Equilíbrio entre acidez, taninos macios e elegantes e álcool sem aparecer. 

Final mediano, sem qualquer amargor ou desequilíbrio. Elegância e exuberância para poucos vinhos nessa idade e faixa de preços em que está. Uma prova da boa capacidade de evolução dos tintos brasileiros e também de que é possível praticar preços acessíveis em produtos de alta qualidade. 


Detalhes da compra:

Ganhei esse vinho da Érika, minha esposa, que o comprou no varejo da vinícola por R$39 em 2012, mas atualmente pode ser encontrado em lojas virtuais variando dos R$45 aos R$62.

*** Para saber mais sobre a vinícola, sugiro a ótima matéria da Joice Lavandoski, publicada no site Enoeventos em 2011 (clique aqui).

Saúde a todos!




3 comentários:

Anônimo disse...

Realmente! Trata-se de um dos ótimos vinhos feitos em 2005, honesto, sem madeira e a um preço justo. Não provei o vinho recentemente mas deve estar como narrado no texto. Acredito que a última vez que o experimentei foi a 2 anos e estava muito bom mesmo.
Parabens pelo blog!

Jeferson Aires

Anônimo disse...

parabéns por divulgar esses vinhos mais difíceis de serem encontrados, porque não vivemos só de vinhos de supermercados e os vendidos pela Wine.

abs,

Administrador disse...

Obrigado aos amigos (mesmo anônimos) por compartilharem aqui suas opiniões.

Saúde a todos!