24 janeiro 2014

É bom, mas seria bem mais simpático se custasse menos: Vila Vita Branco 2012

O vinho não tem passagem por madeira. A expectativa de guarda é até 2015.

No calor sacrificante que tem feito aqui no cerrado brasileiro os espumantes e vinhos brancos têm tomado conta de nossas taças. O álcool dos tintos fica ainda mais evidente quando harmonizados com os termômetros marcando mais de 30ºC. 

Esse vinho branco vem do Alentejo, importante região de Portugal, e tem a assinatura do enólogo Luis Duarte. A vinícola, Herdade dos Grous, foi fundada em 1987 e possui uma grande extensão de terras (593 hectares) de onde saem as uvas para a elaboração de 400 mil garrafas/ano.

Consultando o site da vinícola não encontrei esse rótulo, mas um outro vinho branco elaborado com as mesmas uvas e nas mesmas proporções (veja aqui). Talvez, por uma questão mercadológica qualquer o vinho foi rotulado com outro nome para o Brasil. Espero, aliás, que seja essa a explicação e não o envio para nós de um vinho inferior, já que nosso país aceita de tudo quando falamos de vinhos importados!

No corte entram uvas tradicionais da região:  Antão Vaz (50%), Arinto (30%) e Roupeiro (20%), sem passagem por madeira, apenas tanques de aço inox, e teor alcoólico de 13%. 

Na taça a cor é um dourado claro. Aromas intensos de frutos brancos, especialmente abacaxi, mas com lembrança também de banana, o que é algo comum em vinhos com a uva Chardonnay. Notas minerais também aparecem.

Na boca tem bom corpo, com frutado tropical bem intenso, mas a mineralidade cresce. Acidez moderada. A uma temperatura mais alta, com o calor que fazia aqui no cerrado, ficou alcoólico. Aconselho, então, servi-lo mais gelado, na casa dos 10 graus ou até menos, se estiver calor no dia. Vinho que agradará a muitos paladares, porque tem notas adocicadas sem ser enjoativo.

Final de boa persistência, com palato marcado pela mineralidade. Enfim, um vinho muito agradável, com boa fruta e ideal para acompanhar comida.


Detalhes da compra:

Recebi esse vinho pelo ClubeW, pagando R$55, mas seu preço para os não associados é de R$65. O vinho tem boa qualidade, sem dúvida, mas se custasse menos a relação custo x benefício seria mais justa. 

Saúde a todos!




3 comentários:

Paulo Palma disse...

Acredito que o vinho em questão realmente seja o "Herdade dos Grous
Branco 2012", mas imagino que a estratégia de um outro nome se dá para cumprir um dos requisitos do ClubeW, trazer "lançamentos" de diversas partes do mundo. A propósito experimentei o vinho e tive as mesmas impressões, tanto que em um dado momento até comentei: "nossa, lembra um chardonnay".
Abs.

Administrador disse...

Paulo,

se apenas mudaram o rótulo não dá pra dizer que trouxeram um "lançamento", não é?

quanto a parecer um chardonnay, fiquei feliz em saber sua opinião, porque significa que não estava viajando quando senti essa característica.

abraço!

Gil Mesquita

Peter Sousa disse...

Alentejo Alentejo.....
Lindo com aromas fantásticos e vinhos realmente bons.
Este por exemplo é uma obra de arte http://www.wivini.com/index.php/vinhos/scala-coeli-tinto-2008.html
Obtido a partir das melhores vinificações da colheita, utilizando castas menos tradicionais na região. Em 2008 resultou da vinificação da casta Alicante Bouschet, vindimada a 05 de Setembro. Neste dia as uvas foram cuidadosamente colhidas e levadas para a adega, onde se procedeu à maceração pré-fermentativa a frio, seguida de fermentação alcoólica à temperatura de 28ºC e de maceração prolongada. Encuba total de quarenta dias. Estagiou dezasseis meses em barricas novas de carvalho francês.