17 fevereiro 2014

Provamos o premiado Dayman Tannat 2010, mais um belo vinho uruguaio


Quando o calor deu uma trégua nesse mês de fevereiro resolvemos abrir esse Tannat que estava há meses na adega, apostando que cairia muito bem com carnes do churrasco e com uma carne de panela que a Érika fez. Uma aposta que deu certo!

O vinho é um 100% Tannat elaborado pela H. Stagnari, bodega familiar do Uruguai distante cerca de 20 km do centro de Montevidéu, na cidade de La Paz, no departamento de Canelones. Em seu site a vinícola se orgulha de ter sido premiada com o título de "melhor vinho tinto do mundo" e de ter o "Tannat mais premiado do mundo".

Quando estivemos no Uruguai, em maio do ano passado, provamos outro Tannat "medalhado" da vinícola em um almoço no restaurante Garcia, em Montevidéu. Na ocasião minha impressão é de que a bodega aposta em vinhos mais adocicados, um perfil de Tannat diferente do que imaginamos quando pensamos nessa uva. O estilo não me agrada tanto, mas é uma questão de gosto pessoal, porque o vinho é muito bem feito. 

O vinho de hoje tem esse nome, Dayman, em homenagem ao afluente que desagua no rio Uruguai, na divisa com a Argentina, fazendo a fronteira natural entre os departamentos de Salto e Paysandú, no noroeste do país. Sua produção é limitada, sendo elaborado apenas nas safras que o enólogo considera ótimas.
 
Na taça tem coloração púrpura, bastante denso e com lágrimas finas. É bem aromático, com destaque para frutos negros, algo lembrado chá preto e notas vegetais. Bom corpo, com grande acidez e taninos finos, com algumas notas adocicadas, mas que não deixaram o vinho enjoativo. Muita fruta, com madeira dando recado, mas sem excessos porque já está bem integrada ao conjunto. Final longo.

É um vinho que passa de 12 a 15 meses por barricas de carvalho americano, mas isso deu elegância, sem exageros. Seu teor alcoólico (14,5%) deixa o vinho mais indicado para quem gosta de potência, no estilo Novo Mundo.

Está num ótimo momento para consumo, mas pode evoluir pelos próximos 2 anos sem qualquer problema, desde que bem armazenado. Ganhará complexidade, imagino.   


Detalhes da compra:

Esse vinho é importado pela Cantu e vendido em lojas virtuais na faixa dos R$120. Essa garrafa foi enviada ao blog pela assessoria de imprensa da importadora, para avaliação.

Saúde a todos!


Nenhum comentário: