01 março 2014

Março vai ser quente, então você pode comprar esse ótimo branco de Bordeaux: Les Tuileries Entre-Deux-Mers AOC 2012 #cbe

Um vinho elegante, sem passagem por madeira, seco e gastronômico.

Estou em débito com a Confraria Brasileira de Enoblogs. Na verdade, ainda não publiquei o post de janeiro sobre um espumante especial e o de fevereiro, cujo tema é um vinho com a uva Gamay. Mas, prometo quitar essa dívida nos próximos dias. 

Para ser o vinho do mês de março para a CBE, escolhi esse branco de Bordeaux para atender à convocação do confrade André Rossi, que além de ter um apurado bom gosto futebolístico, mantém o blog EnoDeco, é o representante no Brasil da Wines of Argentina e criador do Winet. Sujeito prendado, que escolheu como tema "vinho branco de corte, em qualquer faixa de preços". 

Pois bem. Esse vinho vem de uma região de Bordeaux não muito prestigiada: Entre-Deux-Mers (entre dois mares). Está situada entre os rios Dordogne e Garonne, afluentes do Gironde. Seu terroir não é propício à elaboração de vinhos excepcionais, como no Médoc ou Pomerol, sendo uma denominação aplicável apenas aos vinhos brancos. Os tintos da região são rotulados como Bordeaux ou Bordeaux Supérieur.

O produtor desse vinho é o Château Les Tuileries, cujas uvas são provenientes de vinhedos com mais de 40 anos de idade. A proporção no corte é de 80% Sauvignon Blanc e 20% Semillion, sem passagem por madeira. Tem 12,5% de álcool.

Na taça o vinho tem coloração amarelo palha. Aromas elegantes, em boa intensidade, leve vegetal, aspargos, folha de tomate (provenientes da Sauvignon Blanc), mas também é frutado, com lembrança de maracujá e abacaxi.

Em boca repete a boa complexidade e elegância, mas ganha em mineralidade. É seco, com bom frescor, equilibrado e elegante. Não tem a intensidade vegetal que deixa enjoativos alguns Sauvignon Blanc do Novo Mundo.  

Final um tanto ligeiro, mas refrescante, com mineral se sobressaindo no palato. Vocação gastronômica bem evidente, como de costume em vinhos franceses. 


Detalhes da compra:

Esse vinho é importado pela Premium, mas comprei essa garrafa na loja Bon Vivant, em Uberlândia, pagando R$ 57.

* Foi o 89º vinho que comentei para a nossa Confraria, primeira e única virtual no Brasil. 

Saúde a todos!



2 comentários:

Ale Esteves disse...

Gil,

57 reais para um vinho frances está de bom tamanho. Mas eu quase me enganei com o nome.

Conhecia um Chateau de La Tuillerie que faz vinhos no Rhone, entao quando li seu post pensei que o mesmo grupo fazia nessa região de Entre-Deux-Mers. Pelo que vi no site, são independentes, mas tem nomes super parecidos. Há muito disso na França.

Abraço,

Alessandra Esteves
www.damadovinho.com.br

Rodrigo disse...

Muito interessante o post; sempre que penso em bordeaux penso em tinto... será uma experiência interessante. Fiquei ansioso pelo post com uva Gamay. Descobri essa variedade de vinho recentemente e apenas provei o produzido pela Miolo, com rótulos muito originais a cada safra.

abraços