09 outubro 2014

O baratinho estava em melhor forma: Reserva da Serra Merlot Cabernet Sauvignon 2005


Quando os amigos do Vivendo Vinhos e do Le Vin au Blog estiveram por essas bandas - para comemorarmos os meus 40 anos - alguns vinhos vieram na mala. Esse foi trazido pelo Cristiano Orlandi e ficamos bem curiosos pra saber como um vinho barato da Lídio Carraro se sairia com quase nove anos de idade. 

Ele pertence a uma antiga linha da vinícola, chamada Reserva da Serra, que saiu do mercado. Acredito que se estivesse à venda hoje estaria na casa dos R$30. Um vinho barato, corte de uvas Merlot e Cabernet Sauvignon cultivadas no Vale dos Vinhedos, embora hoje os vinhos mais caros da vinícola venham da Serra do Sudeste. 

Não tomei notas para descrever o vinho, mas me lembro bem de sua coloração já apresentando alguma evolução, com as bordas levemente alaranjadas. Aromas de boa complexidade, com notas frutadas, chocolate e couro. Na boca apresentou boa acidez, deixando o vinho muito vivo. Os taninos já amaciaram, mas estão presentes. Final de boa persistência, mostrando que ainda tem boa capacidade para acompanhar comida.  


O mais interessante é que provamos na mesma ocasião o Quorum 2005, um dos tops da Lídio Carraro, mas o Reserva da Serra estava em melhor forma, com menos notas oxidadas e sem aquela lembrança de mel que deixa os vinhos mais antigos um tanto enjoativos.

No embate o baratinho levou a melhor. É claro que isso pode decorrer de uma série de fatores, como as condições de armazenamento dos dois vinhos, mas foi o que encontramos na taça. 

Enfim, uma ótima experiência provar um vinho brasileiro de baixo preço e em condições tão boas após esse tempo em garrafa. 

Saúde a todos!



Nenhum comentário: