17 novembro 2014

Mais um prazeroso tinto da histórica safra brasileira: RAR Reserva de Família Cabernet Sauvignon / Merlot 2005


Temos em casa uma coleção bem razoável de tintos brasileiros da safra histórica de 2005 e, vez ou outra, criamos coragem de abrir algum deles. Até porque já decidi que não farei uma degustação com todos eles de uma vez; primeiro porque não quero comparar um vinho com outro, para não sermos injustos nas avaliações; segundo, porque aproveitar uma garrafa por vez prolongará o prazer de ter guardado essas preciosidades por tantos anos.

Esse tinto de hoje foi aberto numa baita segunda-feira, porque simplesmente deu vontade de bebê-lo e por desconfiar que ele poderia estar "mais pra lá do que pra cá". Mas, felizmente, eu estava errado! E fico feliz de errar nessas situações.

O vinho vem de uma parceria antiga entre a Vinícola Miolo e o empresário Raul Randon (aquele da marca que você já viu muitas vezes nas carrocerias dos caminhões). As uvas são dos vinhedos de propriedade do empresário, localizados a uma altitude de 1.000 metros, no município de Muitos Capões (RS), na região conhecida como Campos de Cima da Serra. A parte da vinificação e distribuição fica por conta da vinícola.

A rolha de cortiça estava em ótimas condições ainda. Sem infiltrações. 

Na taça a coloração é rubi, sem reflexos de evolução. Lacrimoso. Bons aromas, frutos vermelhos maduros, cereja, ameixa, notas vegetais, musgo e leve couro. Em boca tem corpo mediano, com discreta nota de evolução, aquela leve oxidação e às vezes mel que sentimos quando bebemos um vinho mais antigo. Os taninos, apesar de amaciados pelo tempo, ainda estão presentes, com leve adstringência. Boa acidez e muita fruta.

A madeira está presente com um tostado elegante, mostrando boa integração entre a fruta madura e o carvalho. Final longo, palato frutado e vegetal. Levíssimo amargor, o único senão desse vinho. Bom equilíbrio, boa evolução e grande vocação gastronômica.

Experiência muito gratificante. Tenho a impressão de que ainda poderia ficar mais um ano guardado, quando então completaria dez anos.


Detalhes da compra:

O vinho, obviamente, está fora de mercado. Mas, a Miolo vende a safra 2008 por R$60 (veja aqui) e na Wine você encontra a safra 2009 por R$51 (veja aqui). 

São safras sem o mesmo potencial da 2005, sem dúvida, então imagino que esses vinhos já estejam num bom momento para consumo agora.   

Saúde a todos!



Nenhum comentário: