25 janeiro 2015

Cerveja do mês :: Providência Casca Hell Extra Special Bitter


- Família: Ale

- Estilo: Extra Special Bitter

- Cervejaria: Providência - Cascavel (PR) - Brasil

- Teor alcoólico: 5,8%

- Preço: R$ 18

Aqui em Minas Gerais quando o sujeito diz "vou tomar providência", há uma grande chance de ser uma brincadeira relacionada a uma cachaça com esse nome, Providência. E ao pesquisar sobre a empresa que produz a "cerveja do mês" vi que tem algo parecido relacionado à escolha do nome, pois segundo o site foi a frase dita pelo responsável pelo registro dos nomes até então cogitados.

A história da Cervejaria Providência tem início em 1901 pelas mãos do imigrante sueco Ernesto Bengtsson, mas o atual perfil de micro cervejaria aparece apenas em 2008, já nas mãos de outros proprietários, porque os herdeiros de Ernesto venderam a fábrica em 1945.

A sede da empresa é em Cascavel, no Paraná, e o nome da cidade foi usado para essa cerveja, fazendo uma alusão à cobra, criando um trocadilho com a palavra inglesa hell.

Essa cerveja pertence à família das Ale (alta fermentação) e ao estilo English Pale Ale, um dos mais antigos e populares na Grã-Bretanha. Uma característica interessante é que as cervejas enquadradas nesse estilo têm pouca espuma, pouco colarinho, em razão da baixa carbonatação.

Mas, consultando o rótulo você verá a sigla ESB (Extra Special Bitter), que é um dos três sub-estilos reconhecidos para as English Pale Ale pelo guia de estilos do Beer Judge Certification Program (BJCP), de 2008. A distinção entre os três sub-estilos basicamente refere-se ao teor alcoólico, sendo admitido para uma ESB algo entre 4,6% e 6,2%, sem dúvida a categoria mais amarga, mais encorpada e, claro, mais alcoólica.

A Casca Hell tem cor acobreada, como pode ser visto na foto acima. Uso sempre a tulipa para degustar as cervejas, independente do estilo, porque ela favorece os aromas, mas é possível também usar um pint para essas cervejas de estilo inglês. Nos aromas predomina a presença do malte, lembrando caramelo, mas as notas herbais do lúpulo estão presentes em segundo plano.

Na boca novamente se repete a presença do malte e o amargor do lúpulo em segundo plano, porque nesse estilo o malte é que deve prevalecer. Apesar do corpo leve tem boa cremosidade e final persistente, marcado por um bom conjunto formado pelo caramelo e amargor.

Fácil de beber, mas o teor alcoólico indica que é melhor em dias mais frescos, até porque sua temperatura de serviço (8ºC) é mais alta que para uma lager, por exemplo. Enfim, cerveja para quem aprecia mais a presença maltada que o amargor do lúpulo, senão pode parecer enjoativa.

Harmonização: bebemos a cerveja com alguns queijos e salames, mas li em uma ficha técnica da cerveja que ela irá bem com mix de castanhas, lombo de porco, pernil de porco com abacaxi e salada de bacalhau.


Saúde a todos!

Um comentário:

Anônimo disse...

Gostei da proposta de falar sobre cervas também. Estou começando a apreciar essa bebida ao lado dos meus vinhos preferidos. Gostaria da opinião de vocês sobre as cervejas Colorado, de Ribeirão. Abs!