23 março 2015

Para acompanhar seu melhor churrasco: De Lucca Reserva Cabernet Sauvignon 2009 #CBE


O tema de março da nossa Confraria Brasileira de Enoblogs - CBE (que deveria ter sido publicado aqui no primeiro dia do mês) foi determinado pelo Victor Beltrami, do blog Balaio do Victor e foi bem interessante: "um vinho varietal tinto ou branco do Uruguai qualquer, menos Tannat."

Infelizmente não consegui encontrar um vinho tão interessante quanto o tema proposto, porque aqui em Uberlândia a oferta de vinhos uruguaios não é grande e o fato de excluir os Tannat já deixou tudo mais difícil. Então, apostei nesse Cabernet Sauvignon já com seis anos de idade, mas que no final das contas não se saiu tão mal. 

É elaborado pela Bodega De Lucca na região de El Colorado, departamento de Canelones. A vinícola tem capacidade para produção 500.000 litros anuais e cerca de 60 hectares de vinhedos próprios. O vinho é rotulado como VCP (Vino de Calidad Preferente), que indica uma produção dentro de certos parâmetros para a região, embora não signifique automaticamente tratar-se de um ótimo vinho. 

O enólogo Reinaldo De Lucca é representante da segunda geração da família a produzir vinhos no Uruguai. Sua origem é o Piemonte, de onde chegaram no início do século XX e estabeleceram os primeiros vinhedos na região. Aprimorou-se com graduações nas universidades de Montevidéu (Uruguai), Penn State University (EUA) e Montpellier (França). 

Esse Cabernet Sauvignon tem 13% de álcool. Na taça a coloração é rubi, com levíssima indicação de evolução nas bordas. Aromas intensos, com muita fruta vermelha, leve tostado, pimenta e algumas notas lembrando geleia, o que pode ser fruto de sua evolução na garrafa. 

Na boca tem bom corpo, taninos ainda rascantes e ótima acidez. Esperava um vinho já mais amaciado pelo tempo, mas ainda demonstra ter estrutura para guarda. Mas, a fruta muito madura e a geleia podem indicar que o vinho esteja, agora, num ponto de equilíbrio que não compense esperar mais para abri-lo. Sabe aquele vinho que pode perder muita fruta se você ficar esperando que seus taninos fiquem mais dóceis? Pois esse é um exemplo. Portanto, me parece estar ótimo para beber agora.

A passagem de 12 meses por barricas de carvalho contribuíram para uma boa complexidade. É um vinho de um estilo mais rústico, que gosto bastante, muito comum em vinhos uruguaios e que, obviamente, pedem um bom pedaço de carne vermelha para acompanhar, se possível os cortes sensacionais de nosso vizinho do sul. 


Detalhes da compra:

O vinho é importado pela Premium Wines, de Belo Horizonte. Não me lembro quanto paguei pela garrafa, pois já está na adega há algum tempo, mas foi algo em torno dos R$65. 

* Esse é o 103º vinho que comento para a CBE, primeira e única confraria virtual brasileira. 

Saúde a todos!     



Um comentário:

Ana Mel Mercearia disse...

Quer uma ótima opção p acompanhar um bom vinho? Na www.anamelmercearia.com.br vc encontra massas artesanais de primeira linha que combinam perfeitamente com seu vinho :) CONHEÇA !