10 abril 2015

Brasileiro, vivo, maduro e elegante: Casa Valduga Gran Reserva Cabernet Sauvignon 2004 #desapego


Temos em casa uma quantidade considerável de vinhos brasileiros antigos, devidamente climatizados, esperando para serem abertos agora em 2015, porque decidimos que esse será o ano do desapego!

Não faremos uma degustação de todos os rótulos no mesmo momento, porque queremos aproveitar o máximo de cada garrafa, especialmente os vários merlot da safra 2005.

Para começar abrimos esse cabernet sauvignon da Casa Valduga, de uma linha que já saiu do portfólio da vinícola e, acredito, seja agora representado pelo Villa Lobos, o vinho top de linha que elaboram com essa uva. 

Não tenho como precisar - por falta de informações - o tempo de passagem por barricas de carvalho, mas certamente o vinho estagiou por um período considerável, talvez por 12 meses e ficou, segundo o contra-rótulo, mais oito meses descansando nas caves da vinícola. Tem 14% de álcool. 

Abri o vinho com bastante cuidado, porque com 11 anos de idade a rolha poderia estar comprometida. Mas, não estava, embora já com 1/3 bem encharcada pelo vinho. Não decantamos, para aproveitar os vários momentos do vinho na taça. 

Servido, o vinho tem coloração púrpura, com reflexos granada. Aromas com boa fruta madura, menta e madeira discreta. Na boca tem bom corpo, com taninos finos, mas vivos, e grande acidez. Apresenta estrutura muito equilibrada (taninos + acidez + álcool), mas paladar maduro e com boas notas de evolução, lembrando compota, mel, musgo, terra úmida e algo animal. Complexo!

Final longo, repetindo tudo. Prazeroso, é um vinho que evoluiu bem nesses 11 anos e está bem vivo, agradável, elegante. Como disse, as notas de evolução estão presentes, mas sem deixar o vinho enjoativo ou cansativo. A estrutura me surpreendeu, mantendo a boa capacidade gastronômica.

Ótima experiência e digo que começamos bem nosso "ano do desapego".


Detalhes da compra:

Esse vinho não está mais no portfólio da vinícola e, evidentemente, não me lembro quanto paguei pela garrafa há alguns anos atrás. Mas, considerando que o Villa Lobos é o cabernet sauvignon top da vinícola, podemos arriscar um preço atualizado pouco acima dos R$100. 

Saúde a todos!


2 comentários:

Rodrigo Rosa disse...

Belissimo vinho. Gostei dessa questão do desapego...rs
Farei o mesmo...rs

Abraços

Anônimo disse...

Olá Gil, bom dia. Também preciso fazer esse ritual do desapego. Estou com algumas garrafas aqui em casa, mas terei que aguardar um pouco mais, pois estou recuperando de uma fratura no braço, portanto, impedido de consumir bebida alcoólica nesse período de recuperação. Assim que iniciá-lo, comento contigo minhas impressões. Abraço. Ronan.