16 agosto 2015

Vinhaço! Edizione nº 08 Cinque Autoctoni (Lote 2006)


Em julho fomos a Jundiaí para visitar os amigos Valdirene e Cristiano (Vivendo Vinhos). Também foram para lá os amigos Rafaela e Cláudio (Le Vin au Blog) e quando nos encontramos a chance de ter um ótimo vinho italiano por perto é muito grande. 

Essa garrafa - segundo a informação oficial - era a última que o Cristiano Orlandi mantinha em sua adega. Há quem duvide, mas ele não é de esconder seus vinhos quando recebe os amigos e está sempre pronto para abrir alguma preciosidade. 

O vinho é um corte de cinco variedades autóctones (nativas), por isso o nome cinque autoctoni. Aliás, é um corte de cinco vinhos diferentes para composição desse blend que não são necessariamente de uma mesma safra. Por isso, o vinho tem "edições" (essa é a número 8) e apenas informa no contra-rótulo quando o corte final foi elaborado (2006, no caso desse vinho).

Seu produtor é a Farnesi Vini, sediada na cidade litorânea de Ortona, na província de Chieti, região de Abruzzo. Em termos vinícolas pertence à Itália Central.

As uvas são de duas regiões, Puglia e Abruzzo, em percentuais que demonstram que cada variedade tem uma função no corte, com predominância das típicas Montepulciano (33%), Primitivo (30%) e Sangiovese (25%), acompahadas das coadjuvantes Negroamaro (7%) e Malvasia Nera (5%). Tem 14% de teor alcoólico.

Não tem passagem por madeira e em seu rótulo traz a classificação de Vino da Tavola Rosso, porque as uvas pertencem a duas regiões distintas, sendo um vinho "genérico" em termos geográficos, sem que isso interfira em sua qualidade.

A rolha já estava bem encharcada e deu trabalho para o Cláudio Werneck, responsável pelo serviço. 

Na taça apresenta coloração rubi, com formação de muitas lágrimas na taça. Intenso em aromas, frutos negros, frutos vermelhos, chocolate e tabaco. 

Em boca é encorpado, com grande acidez e taninos ainda rascantes, que poderiam amaciar com algum tempo em garrafa. Repetição dos frutos negros e chocolate. Notas tostadas aparecem em grande intensidade. Notas de chocolate amargo lembram características do Amarone e Ripasso, vinhos típicos do Vêneto. 

Final longo, prazeroso. Boca salivando em razão da acidez e gengivas sentindo a presença tânica. Palato marcado pela repetição do que nariz e boca mostraram. Vinho complexo, gastronômico, maduro, encorpado, em ótimo momento agora aos nove anos. Acompanha carnes vermelhas e queijos maduros.  

Caso o amigo Cristiano tivesse outra garrafa poderíamos abrir em 1 ou 2 anos com mais evolução e ainda em grande forma.


Detalhes da compra:

O vinho é importado pela Word Wine, que vende a edição nº 12 desse vinho em sua loja virtual por R$ 242,00. Infelizmente a grande qualidade do vinho fez o preço subir nos últimos anos.

Saúde a todos!


Nenhum comentário: