28 setembro 2015

Para guardar por muitos anos: Andeluna Pasionado Cuatro Cepas 2011

Foto: Marcel Gussoni - www.saborsonoro.com.br

Amanhã acontece em São Paulo o Argentina Taste Experience, a nova iniciativa de dimensões mundiais que a Wines of Argentina apresentará ao público brasileiro, com muitas atividades interessantes, dentre elas uma grande degustação às cegas, degustações sensoriais sobre temas variados e um espaço que mostrará os vinhos premiados com medalhas de Ouro e Prata no último Argentina Wine Awards.

Veja mais sobre o evento clicando aqui e para ver sobre os valores clique aqui

Pois bem. Essa breve introdução foi para justificar termos aberto um vinho tinto argentino, robusto, de alto teor alcoólico, em uma semana de calor tão intenso aqui no Triângulo Mineiro. Claro, aberto à noite e refrescado mais que o normal foi possível apreciá-lo sem maiores problemas. 

É um vinho elaborado pela Bodega Andeluna, fundada em 2003, na região do Vale de Uco. A linha Pasionado tem um cabernet franc, um malbec e esse corte das variedades cabernet sauvignon (17%), merlot (20%), cabernet franc (10%) e malbec (53%). 

O vinho tem passagem de 18 meses por barricas de carvalho francês e pelo menos mais 12 meses na bodega para um período de amadurecimento. Tem 15% de álcool e tem a consultoria do famoso enólogo francês Michel Rolland, que não esconde de ninguém sua preferência por vinhos amadeirados, com muita fruta e mais robustos.

Na taça a coloração é púrpura, indicando jovialidade, com muitas lágrimas nas paredes da taça. Os aromas iniciais são muito intensos, com a madeira muito presente, com notas de chocolate, baunilha e um toque mentolado bem intenso. Com algum tempo de serviço (daí indica-se a decantação se for sua preferência) a fruta aparece mais claramente, com frutos vermelhos maduros, ameixa, especiarias, ervas aromáticas e um pouco de terra. 

Em boca é encorpado e as características são de um vinho ainda muito jovem. Apesar de não apresentar desequilíbrios alguns anos em garrafa o deixarão mais harmônico, com certeza. Os taninos estão bem presentes e ainda rascantes, Madeira em grande intensidade e fruta fresca em bom equilíbrio. É seco, sem notas adocicadas e tem acidez mediana. Vinho de perfil mais sério e menos frutadão! 

Além dessa grande possibilidade de ficar ainda melhor com alguns anos de guarda, o vinho não parece ter 15% de álcool, pois não há qualquer desequilíbrio ou sensação de calor que indique isso sem olharmos o rótulo. Boa virtude! 

Cairá muito bem com pratos à base de carne vermelha, especialmente se for um belo corte argentino.


Detalhes da compra:

O vinho é importado pela World Wine, que ainda não oferece essa safra em seu site, apenas a 2008. Aliás, segundo o contra-rótulo, o vinho é elaborado apenas em safras consideradas excepcionais.  

Saúde a todos! 



Nenhum comentário: