07 dezembro 2015

Bom vinho branco chileno: Baron Philippe de Rothschild Reserva Chardonnay 2014


O Vale Central chileno é uma imensa região, que pode ser dividida em outros grandes vales. Em termos vitivinícolas, quando um vinho vem rotulado assim é indicativo de que as uvas podem vir de qualquer parte desse grande vale. Isso significa menor qualidade? Não necessariamente, mas pode significar que o terroir não é necessariamente o mais propício à variedade. 

Por exemplo, cultivar uvas brancas no Vale Central indica que os vinhos serão mais maduros, talvez mais alcoólicos e terão menos frescor em razão do calor da região, mais indicada para variedades tintas como a cabernet sauvignon ou carmenère. 

Esse é um exemplo de vinho mais maduro, elaborado pela famosa Baron Philippe de Rothschild, importante nome na França, cuja história tem início em 1853, quando o barão Nathaniel comprou um château no coração do Médoc, que passou a ser conhecido como Château Mouton Rothschild. Seu neto (Philippe) fundou em 1930 uma empresa com seu nome e expandiu os negócios dentro da França e para Chile e Estados Unidos. Se você já ouviu falar nos ícones Almaviva e Opus One saiba que são fruto da visão empresarial dessa empresa francesa.

Mas, vamos ao chardonnay de hoje!

Na taça a coloração é dourado claro. Tem boa intensidade aromática, frutos brancos maduros, tropicais, como abacaxi, melão e banana. Lembrança muito discreta da madeira, com leve abaunilhado e tostado, até porque passou 6 meses por grandes recipientes de madeira, isto é, houve pouca interferência.

Em boca é untuoso, maduro, com palato marcado pelos frutos tropicais e novamente a discreta lembrança da madeira. O clima da região em que foram cultivadas as uvas (Vale Central) favorece a elaboração de vinhos brancos mais maduros, típicos de clima quente. 

Agradável, equilibrado e sem excessos. Final de boa persistência, repetindo no palato as sensações tropicais anteriores, com notas minerais também surgindo. Tem 13,5% de álcool, sem incomodar.  

Vinho para quem gosta de chardonnay mais encorpados, mas sem a presença muito intensa da madeira. Em termos de harmonização imagino massas com molhos brancos, mas no site do importador há duas sugestões interessantes: tender com abacaxi grelhado e bacalhau com molho bechamel (veja o vídeo).


Detalhes da compra:

Recebi esse vinho de um clube da Wine, pagando R$ 50 pela garrafa. 

Saúde a todos!





Nenhum comentário: