29 janeiro 2016

Abrindo a adega: Dal Pizzol Merlot 2005


Temos vários vinhos da histórica safra brasileira de 2005 e, conforme já escrevi por aqui, decidi não abrir os vinhos em uma mesma ocasião, para poder curtir a experiência garrafa por garrafa. Então, no final do ano passado, abrimos esse Merlot da Vinícola Dal Pizzol, que já teve vários vinhos comentados por aqui (veja aqui). 

Segundo o contra-rótulo foram elaborados 20.000 litros desse vinho, o que resulta em 26.666 garrafas de 750 ml e abrimos a de nº 19.569. Tem 13% de álcool.

Na taça a coloração é rubi, bem brilhante e com muitas lágrimas na taça. 

Aromas intensos, frutos vermelhos e um floral bem aparente. Na boca é um vinho fácil de beber, macio e equilibrado. Os taninos já estão bem dóceis e a acidez um tanto discreta. O floral fica mais intenso em boca do que os aromas sugeriam, com notas lembrando lírios e violetas. Frutos silvestres aparecem formando um conjunto de boa complexidade.  

Final mediano, repetindo tudo. 

Vinho em boa forma para os dez anos, mas não guardaria mais porque me parece que sua estrutura (taninos + acidez) não o fará evoluir. Gostei do resultado, especialmente porque não é um vinho de preço alto e, salvo melhor juízo, não teve passagem por madeira, o que me parece ser o estilo dessa linha. 


Detalhes da compra:

Não me recordo onde comprei essa garrafa e nem quanto paguei por ela, mas a safra atual (2012) é vendida na faixa dos R$ 55-60. 

Saúde a todos!



Nenhum comentário: