21 fevereiro 2016

Um vinhaço argentino com 8 anos de idade: Monteviejo Blend 2008

Foto: Instagram @vinhoparatodos

Outro vinho que bebemos na casa dos amigos Adriano e Suzy (o primeiro já foi comentado na última quinta-feira) foi esse argentino que o Marcel Gussoni levou, um daqueles vinhos argentinos potentes, com boa presença da madeira, mas que em razão de seus 8 anos está bem harmônico. 

O produtor é a Bodega Monteviejo, fundada em 2001 e sediada a 120 km ao sul de Mendoza, em Vista Flores. É um empreendimento da família Pere Verge, originária da França, que no final dos anos 90 chegou à Argentina com o firme propósito de construir uma vinícola. 

A parte enológica é chefiada por Marcelo Pelleriti, um dos enólogos mais respeitados do país, que tem em seu currículo o feito de ser o primeiro enólogo argentino a ter um vinho 100 pontos por Robert Parker. Além de Pelleriti a vinícola conta com a presença do francês Michel Rolland como consultor.

O vinho é um blend, um corte de duas variedades: Malbec (80%) e Syrah (20%), com passagem por barricas francesas superior a 12 meses, além de um tempo na adega da vinícola para afinamento. Enfim, um vinho muito bem cuidado na vinícola para ter um grande potencial de guarda. 

Na taça tem coloração púrpura. Nos aromas uma explosão de frutos negros e boa presença de madeira, com notas de cedro e baunilha. No nariz já se apresenta como um vinho impactante, de estilo Novo Mundo, ainda muito vivo apesar dos 8 anos. 

Em boca é encorpado, com taninos ainda vivos, rascantes. Acidez mediana. O frutado é intenso, mas elegante, fazendo ótima companhia para as notas amadeiradas. Vinho que ainda guarda a potência dos vinhos argentinos, com boa presença da madeira, mas já demonstra elegância depois desse tempo em garrafa.

Um vinhaço, que ainda poderia ser guardado por mais 2-3 anos.  

             
Detalhes da compra:

Esse vinho foi levado pelo Marcel, que o comprou na Argentina. Procurei pelo atual importador, mas não encontrei informações. Até 2014 era importado pela Ana Import, de Salvador, que encerrou suas atividades. Mas, considerando seu potencial de guarda e sua imensa qualidade, deve ser um vinho para custar mais de R$ 100 aqui no Brasil.  

Saúde a todos!



Nenhum comentário: