07 novembro 2016

Dicas para "garimpar" vinhos no supermercado!

Foto: http://vinepair.com/wp-content/uploads/2015/08/supermarket-wine-social.jpg

Em muitos lugares do Brasil não há lojas especializadas e os supermercados são nossas melhores opções para comprar vinhos. E não há nada de errado nisso, embora eu saiba que muitos torcem o nariz para essa possibilidade. 

Isso acontece por puro esnobismo em grande parte das vezes, mas também devemos tomar certos cuidados nessas compras, porque são poucos os supermercados que têm, por exemplo, um atendente especializado para as gôndolas de vinhos. Por não serem necessariamente especialistas nesse tipo de mercadoria, muitos cometem erros no armazenamento, na disposição dos produtos, nos levando a compras infelizes. 

Em razão da experiência que tenho no assunto, seja porque há mais de 10 anos esse blog publica vinhos acessíveis, seja porque continuo comprando vinhos em supermercados, separei algumas dicas para que nossas chances de errar sejam diminuídas. Vamos a elas:

- Prefira safras mais jovens, pois vinhos de longa guarda normalmente não são o foco de um supermercado, que precisa de giro mais rápido. Exceção para as empresas que possuem adega climatizada. 

- Verifique se as garrafas não tomam sol. Acredite: conheço supermercados em que determinada hora do dia o sol bate diretamente nas garrafas de vinho. A luz solar é um veneno para essa bebida. Talvez seja o caso de visitar o supermercado em horários diferentes para verificar essa condição.  

- Rótulo estragado indica maus tratos. Se o rótulo está castigado, rasgado, mofado, molhado, enrugado etc, escolha outro produto, pois esse especificamente pode ter sofrido bastante a ponto de comprometer o líquido. 

- Opte por garrafas deitadas. Alguns supermercados deixam uma garrafa exposta em pé e outras deitadas logo atrás. Gosto sempre de "futricar" e procurar  uma garrafa deitada, que ficou lá no fundo, no escurinho às vezes. 

- Aposte nos vinhos com tampa de rosca. Não tenha receio, eles são lacrados assim para serem mais baratos ao consumidor e porque foram feitos para consumo rápido, talvez de 1 a 3 anos, dependendo do estilo. E eles tem a vantagem de podermos abri-los em qualquer lugar, sem necessidade de saca-rolhas.

- Dentre os vinhos baratos, os brancos são uma compra mais segura. Não sei dizer exatamente porque, mas quando optamos por comprar vinhos bem baratos, como os famosos "Reservado" as chances maiores de acerto são para os brancos. E essa opinião também é a mesma de muitas pessoas que conhecem muito de vinho. Os desequilíbrios são menores que nos tintos. Já encontrei surpreendentes Chadonnay por menos de $30 (atualmente), mas dificilmente encontro tintos que sejam tão interessantes. 

- Observe se a cor dos vinhos (especialmente brancos) é a mesma em todas as garrafas. Quando as garrafas são transparentes você consegue ver a cor dos vinhos. Se a coloração varia nas garrafas de um mesmo vinho, não compre! A única explicação para essa variação é que o vinho teve contato com a luz solar ou com o oxigênio, por um problema na rolha ou tampa de rosca, por exemplo. 

Nos tintos é mais difícil visualizar isso. Mas no "pescoço" da garrafa sempre conseguimos dar uma olhadinha no líquido. Se ele estiver turvo, não compre! Aliás, a turbidez não é bom sinal em nenhum tipo de vinho, pois todos devem ter brilho e a maioria uma transparência evidente. 

Espero que as dicas sejam úteis aos amigos!

Saúde a todos!  

2 comentários:

paduaprs disse...

Rótulo estragado não significa vinho ruim. Encontrei no supermercado vinhos Malásia da Granja União e comprei uma só garrafa em 2012 no Rio Grande. Como o rótulo estava detonado, não levei mais. Estava ótimo. Ao retornar não havia mais! Antonio

Administrador disse...

Caro Antônio,
como dito no texto, o rótulo estragado indica que o produto sofreu "maus tratos", não que o vinho necessariamente seja ruim. Apenas é um risco alto comprar um produto que não foi bem cuidado.
Obrigado pelo comentário.
Saúde!