20 novembro 2016

Esvaziando a adega :: Casa Valduga Premium Cabernet Sauvignon 2005


Quem me conhece sabe que aqui em casa guardamos muitas garrafas de tintos brasileiros da histórica safra 2005 e tenho aberto algumas delas, que na medida do possível estão aparecendo aqui no blog. 

Guardamos por muitos anos, em adega climatizada, três vinhos da Casa Valduga, de uma linha intermediária chamada de Premivm, antigamente elaborada apenas com vinhos do Vale dos Vinhedos. Atualmente apenas o Merlot dessa linha vem da mesma região e é chamado de Leopoldina, enquanto o Cabernet Sauvignon e o Cabernet Franc vêm da Campanha, rotulados como Raízes. 

O primeiro que escolhi para abrir foi esse Cabernet Sauvignon. Não anotei informações a respeito do tempo de madeira, mas salvo melhor juízo passa 8 meses por barricas francesas. Isso lhe confere um tostado bem evidente, uma característica dessa linha nessas safras mais antigas. Tem 13% de álcool.  

Na taça a coloração é rubi, com alguns reflexos demonstrando evolução. Muita intensidade aromática, com frutos vermelhos maduros, alguma fruta em compota, um tostado bem presente (como era esperado), especiarias e feno. 

Na boca estava muito vivo, com taninos ainda firmes, mesmo aos 11 anos de idade. A acidez característica dos tintos do Vale muito presente, fazendo a boca salivar. Muita fruta formando um conjunto intenso com o elegante e intenso tostado.  

Vinho gastronômico, seco, sem notas adocicadas, com final longo de boca, com a sensação dúplice de gengiva seca (taninos) e boca salivando (acidez). Ainda tinha estrutura para ser guardado por mais um tempo, mas já forma depósitos e a fruta começa a perder força, então acredito que tenha aberto no momento certo. 

Ainda esse ano, assim espero, abriremos o Merlot e o Cabernet Franc que estão guardados.


Detalhes da compra:

Não dá para lembrar quanto custou esse vinho, mas a atual safra é vendida aqui em Uberlândia por R$ 74. 

Saúde a todos!



Nenhum comentário: